Lojas interditadas pela Operação Glicério são emparedados

A base da operação está instalada nos baixos do Viaduto do Glicério, próximo à rua Dr. Lund

estadao.com.br,

20 de fevereiro de 2008 | 11h57

A assessoria de imprensa da Subprefeitura da Sé informou que a Operação Glicério, realizada desde terça-feira, 19, naquela região, no Centro de São Paulo, começou a emparedar, na manhã desta quarta, 20, os 11 estabelecimentos interditados no primeiro dia da ação.  A operação foi montada para fiscalizar imóveis, ferros-velhos, bares, estacionamentos e vários outros tipos de estabelecimentos comerciais quanto à segurança das instalações e regularidade de suas atividades. Também realiza serviços de varrição, coleta de entulho e lixo, pintura de guias e sarjetas, retirando cartazes de postes e árvores e serviços de jardinagem. O trabalho está sendo feito dentro do perímetro formado pelas Ruas Tabatinguera, Conselheiro Furtado, Junqueira Freire e Prefeito Passos e continua na parte da tarde.  Participam da força-tarefa, além da Subprefeitura da Sé, as policias Civil e Militar, Guarda Civil Metropolitana (GCM), Contru, Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, Vigilância Sanitária, CET, Controle de Zoonoses, Eletropaulo e Sabesp, o que forma um efetivo de cerca de 200 funcionários públicos. A base da operação está instalada nos baixos do Viaduto do Glicério, próximo à rua Dr. Lund. Na terça-feira, a operação também retirou das ruas dois carros abandonados e cerca de 300 objetos irregulares nas calçadas. A Sabesp encontrou furto de água em três estabelecimentos comerciais e os responsáveis também foram encaminhados para o 1º Distrito Policial.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Glicériolojas irregulares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.