Loja é roubada no estilo da gangue da marcha à ré em SP

Dona da loja estima prejuízo de R$ 40 mil; após o roubo, policiais e ladrões trocaram tiros na zona norte

Daniela do Canto, Central de Notícias,

16 de setembro de 2009 | 07h43

Dona da loja na zona sul estima avalia que prejuízo foi de R$ 40 mil. Foto: Werther Santana/AE

 

A técnica da gangue da marcha à ré voltou a ser usada em São Paulo na madrugada desta quarta-feira, 16, na Vila Nova Conceição. Segundo a Polícia Militar, testemunhas relataram que um Fiat Siena preto foi usado para arrombar a porta de aço de uma loja da rede Boticário na Rua Afonso Brás, por volta das 2 horas, na zona sul. A dona da loja avalia o prejuízo em cerca de R$ 40 mil.

 

Horas mais tarde, dois policiais militares e um suspeito que teria participado do ataque à loja foram baleados em uma troca de tiros na zona norte da cidade.

 

O Fiat Siena usado no crime havia sido furtado no início da madrugada na Rua Pedro Madureira, na Vila Siciliano, também na zona norte. Por volta das 4 horas, policiais que tinham informações sobre o roubo cruzaram com o Fiat Siena. Houve uma breve perseguição, que terminou quando o carro ocupado pelos bandidos bateu contra uma viatura, na Rua Silvio Rodini, na Vila D. Pedro II.

 

Após a colisão, um dos assaltantes desceu do veículo e efetuou disparos contra os policiais. Um sargento da PM foi baleado na perna. Houve revide. Um assaltante foi baleado e levado ao Hospital do Jaçanã.

 

Na batida, um cabo da PM ficou ferido. Ele foi encaminhado, junto com o sargento baleado, ao Hospital da Polícia Militar.

Mais conteúdo sobre:
roubogangue da marcha à réSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.