Loira leva pizza a DP e grupo resgata presos

Ela distraiu os policiais e comparsas armados libertaram 13 bandidos; delegacia fica do lado de um Batalhão da PM

GIO MENDES, MARCELO GODOY, O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2011 | 03h01

Uma loira carregando uma pizza de mussarela entrou na delegacia do Sacomã, na zona sul. Ela se passou por entregadora para distrair os policiais civis, que foram rendidos por dois homens armados. Os criminosos abriram uma das celas para resgatar dois ladrões de carga que estavam entre os 51 presos da carceragem.

A ação ousada aconteceu no final da noite de anteontem. Cinco policiais, dois do 26.º DP (Sacomã) e três da Central de Flagrante da 2.ª Delegacia Seccional, que fica no mesmo prédio, tiveram de entregar as armas para os criminosos. A loira largou a pizza no chão da delegacia para fugir com os comparsas e os dois presos resgatados.

"Se quiserem sair, a hora é agora", disse um dos bandidos para outros 11 presos que dividiam a cela com os dois ladrões de carga, de acordo com o relato de um dos policiais civis que foram rendidos. Segundo o policial, os bandidos estavam armados com uma metralhadora e uma pistola automática.

Os criminosos chegaram à delegacia por volta das 22h30. O resgate de presos passou despercebido por policiais militares da 3.ª Companhia do 3.º Batalhão, que fica ao lado do 26.º DP. Os dois ladrões resgatados fugiram de carro com a loira e a dupla armada. O veículo, um Chevrolet Agile preto, foi encontrado abandonado minutos depois - os outros presos saíram correndo em direção à rua.

Os policiais civis foram trancados em uma cela que estava vazia. Como os celulares dos reféns não foram levados, eles pediram ajuda por telefone. A PM recapturou três presos. Dez bandidos continuavam foragidos.

Como as celas onde estavam não foram abertas, outros 38 presos iniciaram um tumulto na carceragem. O Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil foi chamado para controlar o princípio de rebelião e também fazer a recontagem dos presos.

Os criminosos teriam comprado a pizza em um estabelecimento do Jardim da Saúde, a cerca de 4 km da delegacia. Policiais civis pegaram o endereço da pizzaria na embalagem abandonada e iriam até o estabelecimento em busca de mais informações.

Kombis. De acordo com o delegado Carlos José Paschoal de Toledo, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), o resgate foi um "fato isolado". Ele disse que pediu à Corregedoria da Polícia Civil que abrisse um inquérito sobre o caso. Segundo ele, os dois ladrões alvo do resgate estavam presos sob a acusação de envolvimento no roubo de Kombis que transportam cigarros. "Não tinham um histórico que justificasse medidas especiais."

Ambos estavam presos temporariamente no 77.º DP (Santa Cecília, na região central) quando tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça. Por isso, foram enviados na sexta-feira passada para o 26.º DP e hoje seriam transferidos para um Centro de Detenção Provisória (CDP).

O 26.º DP funciona como central de flagrante das 7h às 22h, de segunda a sábado. Nos demais horários, só registra casos de menor importância. "Mantemos ali, entretanto, um número reforçado de policiais", disse Toledo. Para lá são mandados presos em flagrante dos 12 DPs da zona sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.