Local do acidente vira 'ponto turístico'

Uma das principais áreas turísticas do centro do Rio, com seu conjunto arquitetônico do início do século passado, a Cinelândia atraiu no primeiro fim de semana depois da tragédia inúmeros curiosos interessados em ver de perto os destroços dos três edifícios que desabaram. Alguns turistas chegavam a posar diante do cenário da tragédia.

RIO, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2012 | 03h04

Com o acesso à área bloqueado, a maioria se contentava em tirar fotografias de longe. A advogada paulista Lídia Stefani, de 52 anos, levou a irmã para visitar o local ontem. Na manhã de quinta-feira, poucas horas depois do desabamento, ela já havia visitado a região. "Só vi uma nuvem de poeira quando cheguei naquele dia. Além disso, o cheiro de gás era muito forte", disse.

Lídia também conta que o número de pessoas que tiravam fotos no dia seguinte à tragédia era tão grande que os curiosos formavam fila na calçada. "A Guarda Municipal pedia que cada pessoa tirasse só uma foto e desse passagem para os outros."

Muitos turistas ficaram decepcionados com a interdição do Theatro Municipal, a poucos metros do local do desabamento. "Infelizmente, vai ficar para a próxima vez", disse a irmã de Lídia, Cláudia Stefani.

Por pouco. A assessora da presidência do Theatro Municipal, Ana Luisa Lima, de 47 anos, pode se considerar uma pessoa de sorte. Ela trabalhava no prédio principal do teatro na quarta, quando o anexo foi danificado após o acidente. Perto do horário do desabamento, às 20h33, Ana Luisa costumava pegar o seu carro, sempre estacionado na Rua Manuel de Carvalho, na frente do anexo. Mas, momentos antes de sair, um estrondo e muita fumaça atraíram a atenção de todos.

"Olhei pela janela. Só tinha fumaça, poeira e fogo. E meu carro tinha desaparecido." Ontem, ela voltou ao local para recuperar o veículo, que virou uma massa de metal retorcido. / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.