Litoral paulista tem quatro praias impróprias para banho

Banhistas devem evitar as praias de Itaguá, Pinto, Milionários e Gonzaguinha; medição é feita semanalmente

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

18 Dezembro 2008 | 09h33

Quatro praias do litoral paulista foram consideradas impróprias para banho nesta terceira semana de dezembro, na avaliação da Companhia de Tecnologia e Saneamento Básico de São Paulo (Cetesb). No litoral norte, receberam bandeiras vermelhas as praia de Itaguá, em Ubatuba, e Pinto, em Ilha Bela. Na Baixada Santista, os banhistas devem evitar as praias Milionários e Gonzaguinha, ambas em São Vicente. As outras praias de São Paulo têm boas condições de balneabilidade.   Veja também:  Dicas no Blog do Verão09   Fotos de banhistas aproveitando o verão   Operação vai tentar garantir limpeza de Praia Grande    De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria do Meio Ambiente de São Sebastião, a localização das praias Milionários e Gonzaguinha favorece a contaminação por ficarem na baía de São Vicente. Trata-se de uma baía mais fechada, que acaba recebendo mais dejetos urbanos e deixa as praias impróprias.   Segundo a Cetesb, que monitora 136 das 295 praias paulista, as condições de balneabilidade são avaliadas semanalmente. Todos os domingos, técnicos percorrem 230 km do litoral para a retirada de amostragens da água do mar. A amostra é colhida na profundidade média de 1 metro, faixa do mar na qual encontra-se a maioria dos banhistas. No verão, a amostragem é colhida também às quartas-feiras e sábados.   As amostras de água são encaminhadas para análises microbiológicas para a determinação de bactérias fecais, que são indicadoras da poluição no mar. As análises são realizadas nos laboratórios de Cubatão para as praias da Baixada Santista e litoral sul, e em Taubaté para as praias do litoral norte. Ainda segundo a Cetesb, são realizadas cerca de 600 análises mensais sendo que esse número se eleva para 900 nos meses de verão, totalizando 8 mil análises anuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.