Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Litoral norte tem mais praias em boas condições

Até setembro, 34 dos 83 pontos de medição da Cetesb registraram condições ideais para o banho de mar; no ano passado, eram 27

MÁRCIO PINHO, O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2011 | 03h02

As praias do litoral norte tiveram melhores condições de balneabilidade ao longo das 39 primeiras semanas deste ano, em relação ao mesmo período de 2010. Se consideradas praias que receberam bandeira verde o ano inteiro, são 34 os pontos de medição com condições ideais para banho de mar entre os 83 existentes - no ano passado, eram 27 até o fim de setembro.

Entre os pontos estão praias bastante procuradas, como Itamambuca, em Ubatuba, e Camburizinho, em São Sebastião. O fato de elas não terem bandeiras vermelhas significa que a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) não encontrou esgoto em quantidade suficiente para fazer mal à saúde.

O desempenho do litoral norte em 2011 reverteu uma tendência de piora registrada entre janeiro e setembro de 2010, quando a região viveu seu pior período da década em termos de balneabilidade. A melhora de 2011, contudo, ainda não foi capaz de levar o litoral norte ao patamar do início da década. Em 2002, 65 pontos foram aprovados.

Para quem pratica e vive do turismo, o sumiço das bandeiras vermelhas foi bem-vindo. Na praia de Barra do Una, paraíso ecológico em São Sebastião, as oito bandeiras vermelhas do ano passado foram um susto pelo qual os frequentadores não querem mais passar. "Quando começam a aparecer essas bandeiras em época de temporada, o movimento é afetado, chega a cair em 30%", afirma Adrian Fuhrhausser, dono do Hotel Canoa.

Ele explica que os visitantes mais assíduos não trocam de praia, mas alguns não se sentem tão relaxados. "Até entram na água, mas com receio."

Litoral sul. A Baixada Santista fez o caminho inverso ao do litoral norte. A região, que teve 24 praias livres de bandeiras vermelhas no ano passado (até o fim de setembro), neste ano só tem 13 nessa categoria, de um total de 73 pontos de medição entre Ilha Comprida e Bertioga.

A região, contudo, é bastante heterogênea. As praias mais ao sul recebem raras bandeiras ao longo do ano, caso de Peruíbe, onde a Praia do Guaraú recebeu apenas uma bandeira.

Por outro lado, as cidades mais habitadas vão mal. Santos teve bandeiras vermelhas em todas as suas praias. Somados, os sete pontos da praia onde há medição acumulam 182 bandeiras vermelhas - eram 117 em 2010.

O chefe da seção de balneabilidade de Santos, Márcio Paulo, argumenta que as medições na cidade são mais frequentes do que em outras, pois a prefeitura auxilia na análise. Isso, segundo ele, pode influenciar nos resultados e tornar a comparação desigual.

Paulo também aponta para o problema das habitações irregulares em Santos e em cidades vizinhas, como São Vicente e Guarujá. Elas jogam esgoto sem tratamento no mar, que acaba sendo levado à baía de Santos. O grande número de animais domésticos e as fortes chuvas também são apontadas como causas.

A Aeronáutica não forneceu dados sobre chuvas em 2011 na Base Aérea de Santos. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a medição em um ponto relativamente próximo, na capital paulista, mostra que, em 2011, choveu 6% menos entre janeiro e setembro, em comparação com esse período de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.