Linhas de ônibus alteradas

VILA GUSTAVO E JARDIM BRASIL

O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2012 | 03h04

Escrevo em nome dos moradores da Vila Gustavo e Jardim Brasil. Desde 10/6, a SPTrans e a empresa Sambaíba alteraram o itinerário das Linhas 1728/10 Jardim Brasil-Carandiru e 177C Jardim Brasil-Vila Madalena, dificultando a vida dos usuários. A reclamação é de que as linhas extintas serviam (bem) à população da região há mais de 45 anos. A Linha 1728/10 era prática, pois o ponto final era no Metrô Carandiru; a Linha 177C passava no Hospital das Clínicas e facilitava a vida de idosos e pacientes. Hoje essas linhas passaram a ser circulares, tiveram seu percurso alterado e vários usuários estão indo trabalhar de carro, pois o novo trajeto dificultou a vida de quem costumava utilizar as linhas extintas.

NATALIA COSTA / SÃO PAULO

A SPTrans informa que a reestruturação tem como objetivo melhorar o serviço prestado na região e que as alterações operacionais foram divulgadas pelo Jornal do Ônibus com 15 dias de antecedência. Diz que, em substituição, foram criadas as Linhas 2010/10 Jd. Brasil-Metrô Tietê (circular) e 2010/31 Jd. Brasil-Metrô Tietê (circular). O Parque Edu Chaves e região são atendidos por outras linhas: 701A/10 Pq. Edu Chaves-Metrô Vila Madalena, 1767/10 Pq. Edu Chaves-Metrô Tucuruvi e 2161/10 Pq. Edu Chaves-Praça do Correio.

A leitora reclama: A "reestruturação" só piorou o serviço prestado na região. O responsável por essa mudança não se deu ao trabalho de ouvir a opinião dos usuários das linhas; simplesmente fez a alteração. Convido-o a fazer o novo percurso em horário de pico para ele mesmo constatar o que relatei.

ROD. PRESIDENTE DUTRA

Acesso interditado

A concessionária CCR NovaDutra simplesmente fechou um acesso subterrâneo no km 29 no município de Cruzeiro, deixando sem passagem diversas pessoas que usam o acesso diariamente. Produtores rurais que escoam a produção com transporte animal e não podem acessar a rodovia tiveram até de pular o canteiro central.

OLAIR EDUARDO GONÇALVES

/ CRUZEIRO

A CCR NovaDutra informa que o km 29 da Rodovia Presidente Dutra não é uma travessia oficial, mas uma galeria para drenagem. No fim de 2011 o local passou por manutenção e, durante a execução da obra, a passagem de pedestres e ciclistas permaneceu liberada, salvo em casos em que foi indispensável sua interdição total. Após a conclusão da obra, prevista para julho de 2012, os veículos movidos a tração animal poderão voltar a utilizar o acesso. As opções, neste período, são as passagens no km 28,2 e no km 31,1, além dos retornos oficiais da rodovia, no km 34 e no km 22.

O leitor reclama: A concessionária errou ao não divulgar essa informação aos usuários da via. Os acessos opcionais não resolvem o problema, pois animais e veículos de tração animal não podem trafegar na rodovia até os referidos acessos.

TELEFÔNICA/VIVO

Cobrança inexistente

Desde novembro de 2011 a Telefônica/Vivo me liga no celular e deixa uma mensagem malcriada dizendo que tenho uma pendência financeira. Já liguei para o atendimento e enviei e-mail, mas nunca obtive resposta. Para piorar a situação, fiquei com o telefone mudo, liguei no serviço de atendimento, ficaram de arrumar e, adivinhem, nada! Aproveitei o contato para questionar a pendência e a atendente confirmou que não há pendência em meu nome!

LUIZ CARLOS RENZETTI JÚNIOR

/ SÃO PAULO

A Telefônica/Vivo informa que tomou providências para que as chamadas não voltem a ocorrer.

O leitor comenta: Aparentemente o problema foi resolvido. Isso se a empresa não voltar a fazer ligações e enviar mensagens "ameaçadoras", como fez.

COLETA SELETIVA

Contêiner impróprio

Para melhorar a qualidade de vida do cidadão é necessário obedecer a etapas. A primeira delas é consultar a população. Fiz uma foto de um contêiner localizado na Praça Raphael Sapienza, que indica uma iniciativa que busca apenas votos em ano de eleição. Dinheiro público jogado no lixo! O contêiner é grande demais para abrigar lixo reciclado e parece mais um banheiro químico. Os dizeres estão malfeitos e não dá para entender o que pode e o que não pode ser deixado ali. O que vemos é o acúmulo de lixo orgânico dentro e fora do recipiente. O mau cheiro já espanta os transeuntes.

JEANE CAPELLI PEN / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.