Linha Laranja deve ir até Anália Franco

Para desafogar a Linha Verde, Metrô planeja estender traçado do chamado ''ramal das universidades'' até a zona leste de São Paulo

Eduardo Reina e Renato Machado, O Estado de S.Paulo

18 Fevereiro 2011 | 00h00

A Linha 6-Laranja do Metrô, apelidada de "linha das universidades" por passar perto de faculdades, vai ficar maior e chegar até a zona leste. Inicialmente prevista para ir da Estação São Joaquim da Linha 1-Azul até a Vila Brasilândia, na zona norte, o ramal deve ter uma alteração de traçado: em vez de terminar no centro, seguirá até o Jardim Anália Franco, na zona leste. Na outra ponta, será estendida até Pirituba.

 

Veja também:

linkDe olho na Expo 2020, Piritubão vai ganhar estação

 

O estudo do novo traçado será agora apresentado ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), que dará o aval final sobre as mudanças. Em paralelo, deve ser feito o projeto funcional do prolongamento da linha - a primeira etapa da obra -, a partir da Estação São Joaquim.

A construção da Linha 6-Laranja ganhou destaque nos últimos 15 dias dentro da administração estadual e se tornou prioridade do governo do Estado. Isso acontece pelo imbróglio na licitação da Linha 5-Lilás, suspensa depois que surgiram denúncias de conluio entre empresas participantes da licitação.

A Linha 6-Laranja foi projetada inicialmente para ter 16 quilômetros e 14 estações. Ela vai passar por bairros como Liberdade, Bela Vista e Higienópolis, na região central, Perdizes e Pompeia, na zona oeste, e Freguesia do Ó e Vila Brasilândia, na zona norte da capital paulista.

A extensão deverá passar por bairros como Cambuci, Ipiranga e Mooca. E seguir pela região da zona leste de São Paulo até cruzar com a futura Linha 15-Branca (Vila Prudente-Tiquatira), na altura da Estação Anália Franco. No caminho, ela também fará a ligação com a Linha 10-Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que atende o ABC paulista.

O objetivo principal do prolongamento é criar uma nova rota praticamente paralela à Linha 2-Verde, que já apresenta sinais de saturação. E a situação desse ramal deve se agravar ainda mais em abril, quando as estações Tamanduateí e Vila Prudente - que atualmente funcionam em horário reduzido - devem passar a operar em período integral. Todos os passageiros provenientes da região do ABC paulista vão entrar na rede de Metrô pela Linha 2-Verde.

"A Linha 2-Verde está operando no limite, então precisamos dar um reforço para a região, aliviar essa linha", explicou o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

A 60 metros. O prolongamento da Linha 6-Laranja da Liberdade (Estação São Joaquim) até o Anália Franco também será subterrâneo, assim como o restante do projeto. Esse ramal deverá ter as estações construídas em maior profundidade na cidade de São Paulo. Ficarão em média a 60 metros abaixo do nível do solo. Um trecho passará sob o Rio Tietê.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.