Linha 9 terá de fechar aos domingos

CPTM alega que será necessário interromper serviço, em fins de semana alternados, para realizar obras de modernização

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

16 Março 2012 | 03h01

Um dia após a pane elétrica que afetou ao menos 30 mil pessoas, impedindo a entrada de passageiros nas estações e criando enormes filas, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou ontem que fechará, durante "alguns domingos" ainda a serem definidos, as 18 estações da Linha 9-Esmeralda. Segundo a companhia, o fechamento servirá para a execução de obras de modernização.

Embora não seja a maior linha da CPTM nem em tamanho nem em número de passageiros, a 9 é o ramal que mais tem chamado a atenção na malha ferroviária por dois motivos: as constantes panes - só anteontem foram duas - e o expressivo aumento do número de usuários. A linha hoje transporta cerca de 400 mil pessoas por dia, 46% a mais do que ocorria há um ano.

As panes de ontem foram potencializadas por outras falhas de sistema, ocorridas no Metrô, que ao todo prejudicaram ao menos 165 mil pessoas. Ao todo, foram seis panes, quatro delas ocorridas no horário de pico da manhã. E o problema mais crítico foi justamente na Linha 9-Esmeralda, que ficou com a circulação interrompida entre as Estações Santo Amaro e Granja Julieta por quase três horas. À noite, entre 19h40 e 21h, uma queda na rede aérea voltou a interromper a circulação de trens. Dessa vez, o problema foi na Estação Villa-Lobos-Jaguaré, segundo a companhia.

Em nota, a CPTM diz que o fechamento aos domingos tem "o objetivo de agilizar a execução do plano de investimento das obras de modernização em curso" e "até o momento, as obras estavam sendo realizadas durante a noite, no período entre 00h30 e 3h30, e em fins de semana, adequando os intervalos da circulação dos trens, o que prolonga a conclusão dos trabalhos". A superlotação na linha se deve, em grande parte, à inauguração completa da primeira etapa da Linha 4-Amarela do Metrô, que liga o Butantã, na zona oeste, ao centro. Usuários da Linha 5-Lilás do Metrô, que vem do extremo sul da capital até o Largo 13, em Santo Amaro, utilizam a Linha 9 como conexão entre as duas linhas de metrô.

Para reduzir o aperto, oito trens novos passaram a rodar na Linha 9. Ocorre que as obras de modernização ainda estão sendo feitas. Uma das principais medidas é instalar mais transformadores de energia - equipamentos diretamente ligados às panes de ontem. Assim, vale notar que, no Metrô, os problemas de anteontem foram nos trens, ao passo que, na CPTM, foram nos sistemas elétricos da via.

Aviso. A nota da CPTM diz ainda que "a companhia está desenvolvendo o cronograma de trabalho e os usuários serão informados com antecedência sobre o prazo necessário para realização das obras". Mas não dá data de início das paralisações.

Mais conteúdo sobre:
linha 9 CPTM esmeralda fim de semana

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.