ViaMobilidade
ViaMobilidade

Linha 5-Lilás testa pagamento por QR Code em duas estações

Para quem comprar passagem com cartão de crédito, basta encostar o celular na catraca; projeto-piloto vai até o dia 18

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2019 | 10h30

SÃO PAULO - A Linha 5-Lilás iniciou nesta segunda-feira, 7, um projeto-piloto para o pagamento da passagem por meio de QR Code, um código de barras em 2D que pode ser em gerado por aplicativo de celular. Os testes serão feitos até o dia 18 nas Estações Largo 13 e Giovanni Gronchi, na zona sul de São Paulo.

A ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação da Linha 5, informou que a compra do bilhete digital deverá ser feita com cartão de crédito pelo aplicativo VouD, disponível gratuitamente na Google Play e na App Store.

"Basta o passageiro encostar o código no leitor da mesma forma que já faz com o bilhete único", explicou a ViaMobilidade, em nota.

Os passageiros também podem realizar a compra com cartão de débito nas máquinas de autoatendimento das estações. Neste caso, depois de efetuar o pagamento, o bilhete com o QR Code será impresso e estará pronto para ser validado nas catracas habilitadas nas duas estações.

Durante os 12 dias de teste, as vendas por QR Code estarão disponíveis da seguinte forma:

  • 1ª semana (de 7 a 12 de outubro): das 10 horas às 16 horas;
  • 2ª semana (de 13 a 16 de outubro): das 8 horas às 20 horas.

Os bilhetes adquiridos com QR Code têm validade até o dia 18, período de validação da tecnologia, mas a recomendação da ViaMobilidade é que sejam utilizados preferencialmente em até 72 horas após a compra para evitar que a impressão do código em papel sofra desgaste e não dê leitura.

Os demais bilhetes em vigor, incluindo o clássico Edmonson (unitário), continuam valendo normalmente.

QR Code no Metrô e na CPTM

Desde o mês passado, as Companhias do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) testam o pagamento de tarifa por QR Code. Foram instalados dois leitores de bilhetes com a tecnologia em cada estação participante. A passagem não vale para a integração com outro modais, como ônibus.

No Metrô, o sistema funciona em três estações:

  • São Judas (Linha 1-Azul);
  • Paraíso (Linhas 1-Azul e 2-Verde);
  • Pedro II (Linha 3-Vermelha). 

Já na CPTM, são quatro estações:

  • Autódromo (Linha 9-Esmeralda);
  • Tamanduateí (Linha 10-Turquesa);
  • Dom Bosco (Linha 11-Coral);
  • Aeroporto-Guarulhos (Linha 13-Jade).

Os testes no Metrô e na CPTM vão até o dia 18.

Entenda o novo sistema:

O que é QR Code?

É uma espécie de código de barras em 2D, que pode ser impresso ou gerado no celular.

O bilhete pode ser lido por qualquer catraca?

Não, o bilhete com QR Code só pode ser validade nas estações que participam do projeto-piloto. Em cada, foram instalados dois bloqueios com leitores habilitados para o novo sistema.

Como comprar o novo bilhete?

Em totens de autoatendimento, a compra pode ser feita por cartão de débito. Outra possibilidade é fazer a aquisição, por cartão de crédito, pelo aplicativo VouD, disponível para Android e iOS. Neste caso, o QR Code será gerado no celular do usuário e basta encostar o aparelho na catraca. 

O bilhete tem validade?

Os bilhetes com QR Code só serão válidos até o fim do teste, no dia 18 de outubro.

Quanto custa o bilhete com QR Code?

O valor é o mesmo da tarifa comum: R$ 4,30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.