Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo será entregue apenas em 2016

A primeira estação do novo trecho da Linha 5 abre em janeiro de 2014, com um atraso em relação ao cronograma original, que previa inauguração em 2013

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2013 | 16h39

SÃO PAULO - O governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira, 4, que a entrega das obras da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo ficará para 2016. Atualmente, um trecho de 11,5 km e 12 estações vem sendo construído na zona sul da capital, ligando o bairro de Santo Amaro ao de Chácara Klabin.

"Nós vamos entregar em 2015 o máximo que a gente puder. Provavelmente, toda ela até 2016", afirmou o tucano durante entrevista após a vistoria de dois "shields", conhecidos como tatuzões, que escavarão parte dos túneis necessários para a linha, em canteiro na zona sul.

A primeira estação desse novo trecho da Linha 5, a Adolfo Pinheiro, abre em janeiro de 2014, com um atraso em relação ao cronograma original, que previa sua inauguração em 2013. A parada começou a ser construída em 2009 - serão, portanto, quase cinco anos de obra em uma única estação.

O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, citou "imprevistos" para falar sobre a entrega da estação. "Teve aquela história da adutora, mas não mudou mais (a data)." No local, havia uma adutora e o poço de escavação da estação ficava bem no caminho do duto. Para evitar rompimentos, foi preciso refazer quase 1 km de estruturas da adutora.

"Nós vamos tentar antecipar o máximo que nós pudermos para 2015, acho difícil que a gente consiga entregar mais estações ainda o ano que vem. Mas o fato é que elas vão estar muito perto de serem inauguradas e quando entregar já entrega no conjunto", afirmou Alckmin.

O mandatário disse que, diferentemente das estações construídas por meio de escavação "à mão", as obras da Linha 5-Lilás, feitas com tatuzões, requerem que as toneladas de excedentes de terra sejam removidos pelo fundo do equipamento, o que impossibilita o funcionamento das estações intermediárias já escavadas.

A Linha 5 já tem oito estações, na zona sul, a maioria em via elevada. Elas foram inauguradas em 2002 - desde então, esse ramal, que não se conecta com nenhum outro do Metrô, não cresce.

PPP. Alckmin também falou nesta segunda-feira sobre a parceria público-privada (PPP) para a construção da Linha 6-Laranja do Metrô, que ligará a Brasilândia, na zona norte, à região central. Na semana passada, apenas um consórcio apresentou interesse em montar e operar a linha.

"Nós queríamos que tivéssemos mais (interessados). O governo federal lá em Libra não queria que tivesse mais consórcios? Queria, mas isso não está no controle do Estado", afirmou Alckmin.

Fernandes, por sua vez, disse que as obras começam no ano que vem. "Essa obra só deve começar a partir de maio, junho do ano que vem. As desapropriações vão começando antes. Nós temos que desapropriar para dar canteiro de obra."

Mais conteúdo sobre:
metrô Geraldo Alckmin obras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.