Linha 4 será aberta hoje com internet sem fio

Nos próximos dias, passageiros não terão de pagar para ir da Paulista à Faria Lima

Eduardo Reina,

25 de maio de 2010 | 02h31

 

As duas primeiras estações da Linha 4-Amarela serão abertas hoje ao meio-dia com novidades tecnológicas que incluem o serviço de internet sem fio de alta velocidade e trens automáticos, sem condutores. Outra solução inédita é o equipamento que permitirá regular o consumo de energia, evitando desperdício. Além disso, o sistema de frenagem vai produzir energia elétrica, que será guardada e utilizada pela própria composição.

 

Veja também:

 

linkLinha passou por milhares de testes nos últimos meses

mais imagens Galeria de fotos da nova Estação Paulista

 

Por enquanto, as Estações Paulista e Faria Lima vão funcionar em esquema de testes, de segunda a sexta-feira. A partir de amanhã, elas funcionarão das 9h às 15h. Durante essa fase, não haverá cobrança de tarifa e a ligação com a Linha 2-Verde, na Estação Paulista, ficará fechada.

 

Os trens andarão em sistema carrossel, no qual todos seguem na mesma velocidade e o ajuste da frota é feito de acordo com a demanda de tráfego. Assim, o tempo de espera poderá diminuir dos programados 90 segundos para até 75 segundos.

 

Vagões

 

Os novos trens que circularão entre as duas estações não terão vagões separados. Eles são formados por um corpo interligado por "portas de salão", ao contrário do existente hoje nas outras linhas. Cada composição tem 128,4 metros.

Dentro, o usuário terá ar-condicionado e som ambiente, além de quatro câmeras de vigilância em cada um dos vagões. Além da internet, os passageiros poderão utilizar celulares, como nas outras linhas do Metrô.

 

A Linha 4 ainda funcionará com toda a operação feita de maneira automática, controlada diretamente do Centro de Controle Operacional (CCO) que fica na Vila Sônia, zona oeste. As demais linhas do Metrô têm um único CCO, na Rua Vergueiro, no Paraíso, zona sul.

 

Adotado há cerca de dez anos em linhas dos Estados Unidos, França, Alemanha, Espanha e Hungria, o sistema driverless, de trens sem condutores, será usado pela primeira vez na América Latina. Para que o driverless funcione, foi preciso instalar um novo sistema de comunicação denominado controle de trens por comunicação de rádio base - CBTC, na sigla em inglês -, que permite que as composições conversem entre si. A comunicação é feita por ondas de rádio e antenas no túnel. No CCO, haverá um mapa eletrônico com a posição exata de cada trem.

 

Essa tecnologia permite a operação remota dos trens e um menor tempo de espera para o usuário na estação, reduzindo o intervalo de circulação entre as composições. Os comandos para inserção ou retirada automática de trens são simples, realizados remotamente por operadores do centro de controle.

 

Passageiros

 

Os trens da Linha Amarela têm capacidade para transportar mais passageiros. Mas em pé. São 1.964 pessoas em cada composição com seis carros - 306 sentadas. Os trens das linhas já em operação comportam entre 1.500 e 1.620.

 

Nas Linhas 1-Azul e 5-Lilás são transportadas 1.500 pessoas a cada trem. Na Linha 2-Verde, são 1.620; na Linha 3-Vermelha, 1.600. Já as composições abrigam sentados número similar de passageiros ao do ramal inaugurado hoje: Linha 1 - 366, Linha 2 - 274; Linha 3 - 368 e Linha 5 - 272. Nos horários de pico, os vagões chegam a receber até 8,6 passageiros por m². O padrão internacional é de 6 passageiros por m². Espera-se um movimento de mil pessoas por dia nesse início de operação da Linha Amarela.

 

Se comparado com os trens das outras linhas, há menos assentos especiais para idosos, gestantes ou pessoas com mobilidade reduzida. Na Linha 4, são 32 lugares reservados. Nos demais ramais, eles são 60 em média.

 

Prazos

 

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos espera que as 11 estações da linha estejam em operação em 2012. As próximas a serem inauguradas serão a Butantã e a Pinheiros, até novembro. Até abril do ano que vem, devem ser entregues as conexões com a Luz e a República. As restantes, entre elas Vila Sônia, Fradique Coutinho e Oscar Freire, ficarão para 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
MetrôLinha 4Paulista: Faria Lima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.