Linha 4 do Metrô vai abrir 1 hora mais cedo

Ramal que liga Faria Lima à Paulista está em operação assistida desde maio de 2010

, O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2011 | 00h00

A concessionária ViaQuatro vai ampliar em uma hora o período de funcionamento da Linha 4-Amarela do Metrô. A partir da próxima segunda-feira, Os usuários poderão fazer o trajeto das 8 às 15 horas, de segunda a sexta-feira, incluindo feriados. O horário anterior era a partir das 9h.

A Linha 4-Amarela foi inaugurada em maio do ano passado e atualmente opera entre duas estações, Paulista e Faria Lima - um trecho de 3,6 quilômetros. Desde então, o ramal funciona no esquema de operação assistida, com horário de funcionamento reduzido em relação ao restante da rede, para a realização de testes. Essa é a primeira ampliação no horário.

A previsão é que o horário seja estendido para o mesmo adotado nas outras linhas - entre 4h40 e 0h15 do dia seguinte - quando forem inauguradas as outras duas próximas estações, Pinheiros e Butantã. Elas deveriam ter sido entregues até o fim do ano passado. O novo secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, informou que elas devem ser entregues no primeiro semestre.

Até o fim do ano, podem ser entregues as ligações com a Luz e a República. O ramal completo (Luz-Vila Sônia) deve ser totalmente inaugurado até o fim de 2014 e terá 11 estações.

Segundo a secretaria, a ampliação do horário tem o objetivo de "atender a grande demanda de usuários que têm como destino a Avenida Paulista ou a região de Pinheiros no início do horário comercial". A estimativa é que haja um aumento de 1,5 mil passageiros na Estação Consolação (Linha 2-Verde) - a única ligação da Linha 4-Amarela com o resto da rede atualmente.

A concessionária ViaQuatro afirma que já foram transportados cerca de 2 milhões de passageiros desde a inauguração da linha. Até junho, os percursos eram feitos gratuitamente por causa da operação assistida. Agora cobra-se o mesmo valor do resto da rede de Metrô: R$ 2,65.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.