Linha 4-Amarela não aparece em site oficial

Os endereços das quatro estações da Linha 4-Amarela do Metrô na internet não podem ser acessados a partir da página inicial do Metrô, ao contrário do que acontece com os outros ramais. No site www.metro.sp.gov.br, a única referência ao trecho que liga a Estação Butantã à Paulista é um link para a central de informações da ViaQuatro, empresa que opera o trecho, com o telefone e o endereço da concessionária.

Caio do Valle e Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2011 | 00h00

No link "Busca de Estações", também na primeira página, não há referências à Linha 4. Os endereços das estações só aparecem quando o usuário clica em "Mapa da Rede" e procura o nome do ramal no menu à esquerda. Em nota, o Metrô disse que "informações sobre as condições operacionais do Metrô e ViaQuatro são de responsabilidade de cada operadora, devendo ser divulgadas de acordo com as diretrizes de cada empresa". Já a ViaQuatro afirmou que o site da Linha Amarela está em desenvolvimento e deve ser lançado "nos próximos meses".

Os trens que circulam pela Linha 4, apelidada pelo governo do Estado de "linha da integração", não têm mapas de toda a rede no seu interior. Nas novas composições, só é possível ver as estações da Linha Amarela, em selos sobre as portas.

A ViaQuatro informou que a instalação de mapas da rede dentro dos vagões deve ocorrer em até dois meses.

CPTM. Desde 2008, a linha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que liga a Luz a Rio Grande da Serra se chama 10-Turquesa - até então, era chamada de Linha D (Bege). Nas paradas São Caetano e Mooca, porém, as placas com os nomes das estações e indicações de saída são da cor bege, usada antes da mudança.

Na tarde de segunda-feira, a reportagem encontrou, também, um mapa desatualizado dentro do vagão D147 de um trem que fazia a viagem sentido Rio Grande da Serra. Além de chamar a Linha 10 de Linha D, o desenho identificava o itinerário entre Luz e Jundiaí como "Linha A". A CPTM informa que "está atualizando a comunicação visual de todas as 89 estações e trens gradativamente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.