Lindembergue é autuado por 5 crimes e será ouvido

Polícia Civil confia em Nayara para esclarecer questões importantes do seqüestro

Debora Nogueira, do estadao.com.br,

19 de outubro de 2008 | 10h53

A Polícia Civil autuou o jovem Lindembergue Alves, de 22 anos, por cárcere privado, periclitação de vida, homicídio e duas tentativas de homicídio (contra Nayara e um sargento da Polícia que presidia a negociação no início do caso). A Polícia deve ouvi-lo, mas não há data marcada para o depoimento. A Polícia aguarda a alta médica de Nayara Silva para fazer a reconstituição do momento em que a jovem Eloá Cristina Rodrigues e a própria Nayara foram baleadas. O delegado da Seccional de Santo André Luiz Carlos dos Santos afirmou que Nayara "é de vital importância" e confirmou que os disparos foram dados pela arma de Lindembergue, uma arma calibre 32.   São dez dias para concluir o caso por se tratar de flagrante. Pela complexidade, algumas diligências serão prolongadas em "autos apartados". Dezoito pessoas já foram ouvidas, entre elas, os cinco policiais que participaram da ação no momento da invasão. As armas dos policiais e um escudo, com marca de balas, foram encaminhadas para a perícia.    Santos não quis opinar sobre a ação do Gate e só comentou que "são profissionais respeitados, de valor, que sabem o que estavam fazendo ali". "Não cabe a mim comentar a operação do Gate. Eles têm poder de definir a hora da invasão e criminalmente não é tão importante a hora da invasão", afirmou. O delegado contou um pouco sobre o depoimento de Nayara sobre a rotina dentro da casa durante o seqüestro. "Para dormir ele as amarrava com fita adesiva e roupas. Eles tomaram banho normalmente e Eloá cozinhava", disse o delegado.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroSanto Andre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.