Lindemberg é transferido de Pinheiros para Tremembé

Secretaria não informou motivo da mudança de prisões; defesa disse que ele temia ser assassinado

Elvis Pereira, estadao.com.br

20 de outubro de 2008 | 19h59

O jovem Lindemberg Fernandes Alves, acusado pelo assassinato de sua ex-namorada, Eloá Cristina Pimentel, foi transferido na tarde desta segunda-feira, 20, do Centro de Detenção Provisória (CDP) II de Pinheiros para a Penitenciária II de Tremembé. O presídio é o mesmo onde está Alexandre Nardoni, acusado de matar a filha Isabella, na capital paulista.  Veja também:Multidão acompanha velório de Eloá em Santo AndréNayara passará por nova cirurgia na terça-feira Lindemberg teme ser morto na cadeia e advogada fará a defesaSaiba como foi o fim do seqüestro Confira cronologia do seqüestro Galeria com imagens do seqüestro Imagens da negociação com Lindemberg Alves I  Imagens da negociação com Lindemberg Alves II  Especialistas falam sobre o seqüestro no ABC Eloá, 'uma menina falante'; Lindemberg, 'um trabalhador' Seqüestro em Santo André é o mais longo registrado em SPTodas as notícias sobre o caso  A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) não informou o motivo da transferência e ressaltou que "não fornece detalhes da rotina de presos sob sua custódia, por questões de segurança". A Polícia Civil autuou Lindemberg por cárcere privado, periclitação de vida, homicídio e duas tentativas de homicídio (contra Nayara e um sargento da Polícia que presidia a negociação no início do caso).  Nesta segunda, o Ministério Público anunciou que o promotor do Júri de Santo André, Antonio Nobre Folgado, cuidará do caso do seqüestro das duas adolescentes. Após ser comunicado oficialmente da prisão em flagrante de Alves, o promotor terá 10 dias, contados a partir da detenção, para receber o inquérito policial. Em seguida, serão mais 5 dias para o oferecimento da denúncia. A promotora da Justiça Militar Eliana Passarelli ficará responsável pela análise da ação da polícia.  Alves foi preso na sexta, 17, depois de manter Eloá, de 15 anos, e sua amiga reféns por cerca de 100 horas, na semana passada, em um apartamento do Conjunto Habitacional do Jardim Santo André, em Santo André, no ABC paulista. O seqüestro terminou com a morte da garota, que foi baleada duas vezes, na cabeça e na virilha. A amiga dela, Nayara, de 15 anos, também foi mantida refém e acabou baleada no rosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.