Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Liminar barra prédio residencial na Pompeia

Projeto de residencial foi suspenso a pedido da empresa que opera a obra da Linha 6-Laranja do Metrô, ao lado do Sesc Pompeia

Pablo Pereira, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2022 | 05h00

Uma liminar da Justiça de São Paulo suspendeu o projeto de construção de um prédio residencial da Pouliche Empreendimentos Imobiliários, do grupo Even, na área do bairro da Pompeia, zona oeste da capital, perto da obra da Linha 6-Laranja, do Metrô, vizinho da futura Estação Sesc Pompeia. 

A decisão judicial, da 5.ª Vara da Fazenda Pública , atende pedido da Linha Uni, concessionária responsável pela obra do Metrô, para suspender a construção do residencial, lançado em dezembro pela construtora, por suspeita de interferência das fundações do edifício no traçado de construção da nova linha.

“Concedo a tutela de urgência para determinar que a ré se abstenha de imediato de dar prosseguimento a quaisquer atividades construtivas relacionadas ao empreendimento Modo Pompeia, diante de sua interferência direta nas obras da Linha 6, até que seus novos projetos estejam aprovados pela Autora e pela STM, sob pena de multa diária de R$ 100.000,00 em caso de descumprimento”, diz a decisão, publicada em 17 de janeiro no Diário da Justiça, referente a processo de dezembro.

A obra do empreendimento, um prédio residencial chamado Modo Pompeia, ainda não foi iniciada, embora o stand de vendas esteja montado no endereço da futura torre, na Rua Venâncio Aires.

Licenças 

De acordo com a construtora do empreendimento imobiliário, “a empresa obteve todas as licenças necessárias para a realização e execução do projeto em questão, cuja aprovação se deu em junho de 2021”.

Em nota ao Estadão, a Pouliche informou que foi acionada no fim de 2021 pela concessionária da Linha 6 do Metrô. “E segue em negociação para chegar, o mais breve possível, a uma solução técnica que permita que metrô e projeto possam coexistir”, afirma a construtora no comunicado.

De acordo com a empresa do Metrô, a Linha Uni negocia com a Construtora Even “soluções para viabilizar ambas as construções de forma harmoniosa, uma vez que as fundações do empreendimento imobiliário, da forma originalmente proposta, interferem diretamente nos túneis de via da Linha 6-Laranja.” No dia 1.º, um acidente em obra da Linha 6 causou o desabamento de parte do túnel escavado pelo tatuzão na Marginal do Tietê.

Linha deve atender 600 mil passageiros por dia

 15 estações em 15 km. A concessionária Linha Universidade é a responsável pela retomada da Linha 6-Laranja do Metrô de São Paulo, projeto de construção de 15 estações, por 15 km, interligando a Estação São Joaquim à Brasilândia, na zona norte.

O empreendimento é uma parceria público-privada (PPP) com o governo estadual firmada em outubro de 2020, que estabelece um contrato de 24 anos entre a construção e a operação. A Linha 6 atenderá um fluxo previsto de mais de 600 mil pessoas por dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.