Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil

Líder do PCC é preso no Aeroporto de Guarulhos

Denúncia anônima informou que homem chegaria da Bahia com drogas na bagagem

Juliana Diógenes e Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 12h24

Apontado como um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), Adriano Hilário dos Santos, de 32 anos, foi preso em flagrante no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP), às 18h40 nesta quinta-feira, 10. Ele estava foragido e foi preso quando voltava de Camaçari, na Bahia.

Uma denúncia anônima informou que um homem identificado como Frank dos Santos Cavalcante estaria trazendo drogas em um voo e desembarcaria em São Paulo. Os policiais se dirigiram até a esteira de bagagens e identificaram o suspeito com o auxílio de uma imagem fornecida pelo autor da denúncia. 

Na 3ª Delegacia do Aeroporto (Deatur), foi realizada uma revista na bagagem, mas não foram localizadas drogas. Ao fazerem buscas no sistema de banco de dados criminais, a Polícia Civil identificou que o suspeito não se chamava Frank, mas Adriano Hilário dos Santos. Ao pesquisarem pelo nome verdadeiro, foi apurado que ele era foragido da Justiça. 

Santos foi preso por assalto a uma joalheria. Em regime semiaberto, ele saiu do Centro de Detenção Provisória de Valparaíso e não retornou. A polícia não informou a data da fuga. 

No momento da prisão, Santos estava com a namorada. À polícia, o casal informou que estava na Bahia de férias. Ela foi fichada como testemunha e disse à polícia que não sabia do envolvimento de Santos com o crime. Segundo a mulher, os dois namoram há oito meses.

A polícia investiga se Santos foi se reunir com outras lideranças do PCC na Bahia. A suspeita é de que ele tenha viajado para elaborar mais documentos falsos. Em posse do líder do PCC, havia uma certidão de nascimento que identificava a cidade baiana como local de nascença.   

O caso foi registrado como captura de procurado e uso de documento falso pela 3ª Deatur. Na manhã desta sexta-feira, 11, ele foi para uma audiência de custódia no Fórum de Guarulhos, que definiria o local para onde Santos ficará preso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.