Líder de grupo de extermínio em SP vai para o semiaberto

'Cabo Bruno', acusado de matar mais de 50 pessoas na zona sul, já cumpriu 18 dos 113 anos da pena

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

20 de agosto de 2009 | 14h10

O ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, de 50 anos, conhecido como "Cabo Bruno" nos anos 1980 e acusado de matar mais de 50 pessoas na periferia da zona sul de São Paulo, recebeu nesta quarta-feira, 19, o direito ao regime semiaberto. Ele já cumpriu 18 dos 113 anos da pena.

 

Veja também:

link Ele garante que é um 'novo homem'

 

A decisão foi tomada pela juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani, da 1º Vara das Execuções Criminais de Taubaté, no interior de São Paulo. Com a progressão do regime, Florisvaldo poderá passar o dia fora da prisão e voltar apenas para dormir.

 

No último dia 17, o promotor Paulo Rogério Bastos Costa, do Ministério Público de Tremembé, no Vale do Paraíba, se manifestou favoravelmente à progressão para o semiaberto, pois Florisvaldo já havia cumprido um sexto de sua pena.

 

Ele foi submetido a uma avaliação psicossocial-criminológica por funcionários da unidade prisional e assistentes sociais, psicólogos e psiquiatras da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP). O Estado apurou que o resultado dos exames foram concluídos no início deste mês e todos os pareceres foram favoráveis à progressão da pena.

 

A Secretaria de Administração Pública não divulgou para qual presídio ele será encaminhado, por questão de segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.