Libertado pai de menina que teria sido torturada

O juiz Alberto Fraga, da 3.ª Vara Criminal do Rio, revogou ontem a prisão preventiva de André Rodrigues Marins. Ele é acusado de torturar a filha Joanna, de 5 anos. Ela morreu em 13 de agosto do ano passado, por causa de meningite viral, mas, segundo laudo da polícia, ela tinha sinais de maus-tratos. Para o magistrado, Marins não representa ameaça à ordem pública, à aplicação da lei penal ou às testemunhas. Marins e sua mulher, Vanessa Maia Furtado, responderão por tortura seguida de morte.

, O Estado de S.Paulo

29 Março 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.