Lei Seca reduz em 6,9% número de mortes no trânsito paulista

Número de feridos também teve queda, segundo Secretaria de Segurança Pública; no País, redução foi de 12,4%

Carolina Freitas, Agência Estado

15 Junho 2009 | 17h48

A fiscalização da Lei Seca, que proíbe o motorista de dirigir sob efeito de bebidas alcoólicas, fez com que o número de mortes no Estado de São Paulo caísse 6,92% na comparação dos períodos julho de 2007 a abril de 2008 com julho de 2008 a abril de 2009. O número de feridos no trânsito também teve queda: de 23,2%. Os dados são de levantamento da Secretaria de Segurança Pública do Estado, divulgados nesta segunda-feira, 15, em evento no Palácio dos Bandeirantes. Segundo o estudo, por dia a restrição ao álcool para quem dirige evitou em média uma morte e 96 feridos por acidentes de trânsito.

 

Veja também:

linkEm 1 ano de lei seca, mortes caem 12,4% no Brasil

 

Enquanto de julho de 2007 a abril de 2008, período anterior à vigência da Lei Seca, 4.029 pessoas perderam a vida no trânsito do Estado, entre julho de 2008 e abril de 2009 o número caiu para 3.750. O número de feridos caiu de 125.765 no primeiro período para 96.589 no segundo período. Na capital, a redução de mortes foi 6,59%, de 622 para 581. A quantidade de feridos caiu 12,88%, de 24.602 para 21.433.

 

Dados da Polícia Militar (PM) também apresentados nesta segunda mostram que, de 22 de dezembro de 2008 a 10 de junho de 2009, 303 mil motoristas foram abordados pela Operação Direção Segura, que fiscaliza o cumprimento da Lei Seca no Estado. No período, 31,3 mil pessoas foram submetidas ao bafômetro e 4,2 mil foram autuadas por dirigir alcoolizadas e 1,2 mil presas em flagrante por crime de trânsito.

Mais conteúdo sobre:
Lei seca São Paulo estradas PM

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.