Lei seca: motorista arrasta mulher ao tentar fugir de blitz

Engenheiro foi preso em flagrante no Rio e liberado cerca de sete horas depois, após pagar R$ 4 mil de fiança

ROBERTA PENNAFORT / RIO, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2012 | 03h07

A copeira Maria da Glória dos Santos, de 56 anos, foi atropelada por volta das 23h30 de anteontem pelo engenheiro Carlos Eduardo Vieira dos Santos, de 29, que tentava fugir de uma blitz da lei seca na Gávea, zona sul do Rio.

Ele foi preso em flagrante e liberado cerca de sete horas depois, após pagar R$ 4 mil de fiança e ser autuado por lesão corporal no trânsito e atropelamento na faixa de pedestre, com agravante de não ter prestado socorro à vítima.

Moradora da Cidade de Deus, Maria da Glória seguia para um ponto de ônibus para voltar para casa depois do trabalho. Foi surpreendida pelo carro de Santos em marcha a ré e alta velocidade. Arrastada pelo Hyundai Veloster, Maria da Glória machucou o braço e ficou com escoriações pelo corpo.

Abordado por agentes da blitz mais adiante, Santos xingou e agrediu um deles e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Por causa de seu comportamento, ainda vai responder por lesão corporal contra o agente, resistência à prisão e desacato.

Testemunhas que caminhavam com Maria da Glória para o ponto e, como ela, trabalham em um bufê disseram que o motorista aparentava embriaguez e foram necessários vários agentes para contê-lo.

A copeira foi levada ao Hospital Miguel Couto e depois encaminhada para exame de corpo de delito. Segundo ela, o motorista não parou, mesmo percebendo que a havia atingido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.