Leão que sumiu em São Paulo é achado no Paraná

Ele estava no criadouro do ex-dono em um local onde havia ainda mais de dez tigres

Rene Moreira, O Estado de S. Paulo

03 Maio 2014 | 15h21

FRANCA - Terminou o mistério sobre o sumiço do leão Rawell, levado de uma instituição em Monte Azul Paulista (SP). O animal estava em Maringá, no norte do Paraná, e foi localizado neste sábado,3, dois dias após o desaparecimento. Com um mandado de busca e apreensão, policiais estiveram no local.

O leão se encontrava no criadouro do ex-dono, Ary Marcos Borges, que tem ainda mais de dez tigres. Antes um funcionário chegou a ser detido por não autorizar a entrada de policiais. Borges alegou, através de seu advogado, ter um documento que o coloca como fiel depositário do bicho e que, antes de agir por conta própria, ainda tentou um acordo com o atual proprietário. 

Por falta de acomodações adequadas, a fera deve seguir em Maringá, de acordo com a polícia local. O criador paranaense apresentou um documento que comprovaria seu direito de posse. 

Outro documento já havia sido entregue pelo atual proprietário, Oswaldo Garcia Júnior, confirmando a doação há quase 5 anos. Ele deverá ir ao Paraná reconhecer o leão para, a partir daí, ser definido o seu destino.

 

Sumiço. O leão estava no Criadouro Conservacionista São Francisco de Assis, no bairro Colina dos Sonhos 2, em Monte Azul Paulista, quando desapareceu após um portão e uma cerca serem arrombados. Ele tem 300 quilos e foi tirado de dentro de uma jaula.

 

Imagens feita pela câmera de uma chácara vizinha mostram dois homens e uma caminhonete com uma jaula na carroceria. Dardos tranquilizantes teriam sido usados para sedar a fera.

Mais conteúdo sobre:
Franca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.