José Luis da Conceição/AE
José Luis da Conceição/AE

Leandro de Itaquera representa a zona leste de São Paulo

Com a queda da Nenê, escola é a única da região mais populosa da cidade no Grupo Especial

Leandro Calixto, Jornal da Tarde

01 Fevereiro 2010 | 11h59

Para disputar o campeonato com igualdade contra as demais agremiações, a Leandro afirma que vai investir mais de R$ 1,5 milhão. E não precisou ir muito longe para escolher o seu enredo. As cores da escola inspiraram a comissão de carnaval para a definição do tema Sou um manto de amor e paz, sou Leandro de Itaquera desfilando vermelho e branco no meu carnaval.

 

A escola vai retratar na avenida as grandes celebrações em vermelho e branco no Brasil e também no resto do mundo. "Vamos falar desde o comunismo da China, que tem o pano de fundo a cor vermelha, passando por festas populares de nosso país, como o Festival de Parintins até chegar ao carnaval do Rio, com vermelho branco da escola de samba Acadêmicos do Salgueiro", explica um dos carnavalescos da Leandro de Itaquera, Agnaldo Souza, de 35 anos.

 

Desde outubro, ele comanda um exército de quase 80 pessoas no barracão da escola, que irá vir com 3, 5 mil integrantes, divididos em 28 alas. "Nosso desfile vai causar um grande impacto. Nossas alegorias vão se abrir ao longo da avenida", diz o carnavalesco.

 

O carro abre-alas da escola vai falar da celebração da vida em vermelho e branco. Duas esculturas irão simbolizar a fecundação. Já o segundo carro irá representar a religião, em especial a lavagem da Nossa Senhora do Bonfim. O terceiro virá com uma grande escultura da China, representada por dragões.

 

No quarto carro, o Teatro Amazonas será o destaque, enquanto a última alegoria irá retratar as paixões em vermelho e branco pelo país como o Salgueiro e o boi Garantido, da Festa de Parintins, realizada todos os anos no meio da floresta Amazonas.

 

Formadora de talentos Embora a Leandro nunca tenha conquistado um título de campeã no Grupo Especial, a escola se tornou nos últimos anos uma referência em harmonia e mestre e sala e porta-bandeira. "A gente passou a revelar grandes nomes, que acabaram sendo absorvidos por outras escolas. Mas chegou a nossa hora de soltar o grito de campeão. Precisamos deste título para fortalecer ainda mais nossa instituição", diz o presidente, que fundou a escola há 28 anos a pedido de uma de suas filhas.

 

SANDRA DE SÁ

 

A cantora Sandra de Sá vai ser um dos principais reforços da Leandro de Itaquera neste carnaval. Ela será uma das intérpretes oficiais da escola no desfile do dia 12 de fevereiro. "Era um sonho ter a Sandra em minha escola. Sou fã dela desde quando ela surgiu no cenário da MPB. A sua participação só irá enriquecer a nossa escola. Nossa comunidade está em festa com a Sandra defendendo nosso pavilhão", diz o presidente da escola, seu Leandro.

 

O convite para sambista carioca defender as cores vermelho e branco de Itaquera surgiu no ano passando quando a atriz Regina Casé foi homenageada pela escola. "Houve uma aproximação. Depois disso, liguei para ela e fiz o convite. Ela aceitou de bate-pronto", conta seu Leandro. A sambista, inclusive, não teria cobrado cachê para puxar o samba da escola. Mesmo vivendo no Rio de Janeiro, Sandra tem participado de vários eventos da Leandro. "Estamos praticamente só pagando as despesas dela. Ela virou Leandro de Itaquera", diz com orgulho o presidente.

 

Levar uma mulher para avenida como intérprete da escola não é uma novidade para comunidade de Itaquera. No final da década de 80, a Leandro ganhou grande notoriedade ao promover Eliana de Lima como a sua puxadora oficial. "A gente gosta de inovar. Aquele tempo da Eliana foi um grande momento como será agora também. O público vai se apaixonar pela interpretação da Sandra na avenida. Vai ser um dos nossos diferenciais no desfile."

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2010 Leandro de Itaquera

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.