Laudo sobre acidente em passarela deve sair em até 30 dias

Peritos analisaram o caminhão para verificar se houve falha técnica que fez caçamba levantar sem comando

da Redação , estadao.com.br

15 de julho de 2008 | 08h24

Deve ser divulgado em até 30 dias o laudo que vai explicar o que fez a caçamba do basculante que atingiu uma passarela no km 12 da Imigrantes, na chegada à capital, e causou a morte de uma pessoa. O acidente aconteceu na segunda-feira, 14, e matou Soichiro Furuyabu, de 30 anos. Furuyabu era passageiro de um carro que vinha logo atrás do caminhão e bateu na estrutura de concreto que acabara de cair. Peritos analisaram o caminhão para verificar se houve falha técnica.   Levado ao 97º DP, o motorista do caminhão, Juarez Dias de Carvalho, 44 anos, não soube explicar por que a caçamba levantou. Negou ter pressionado os dois botões que ficam pouco abaixo do assento, que acionam o basculante. O caminhoneiro passou por teste do bafômetro e o resultado deu negativo. Após ser indiciado por homicídio culposo, lesão corporal e danos, foi liberado. Peritos analisaram o caminhão para verificar se houve falha técnica.   A cena foi gravada pela Ecovias, concessionária que administra a rodovia. Às 9h08, um veículo de carga seguia no sentido Capital, a cerca de 80 km/h, quando o policial militar rodoviário Heitor Chagas notou que a caçamba estava levantada. Do acostamento, o PM deu sinal para o caminhoneiro, que não parou. Ele entrou na viatura e foi atrás do caminhão. Não deu tempo.   A 500 metros, estava a passarela, com quase 6 metros de altura. Com a caçamba erguida, o caminhão chegava a 9 m. O choque, cerca de 20 segundos depois, foi inevitável. Parte da estrutura de concreto desabou sobre a pista. Em seguida, vinha um Gol, com duas pessoas. O motorista não conseguiu frear. Bateu na passarela.   Opinião de especialistas   O caminhoneiro Gabriel Chigueira, 52 anos, quase 30 de profissão, estranhou ao saber que o acidente que o deixou parado por algumas horas ontem na Rodovia dos Imigrantes foi causado pela caçamba aberta de um caminhão em movimento. Segundo ele, somente uma falha elétrica justificaria o fato. "Às vezes o painel treme e a caçamba é acionada."   Para Chigueira , não tinha como o motorista não perceber que a caçamba estava aberta. "Ele pode olhar no espelho retrovisor e pode perceber pela direção. O peso do caminhão vai para trás e o volante fica leve." Outros três motoristas ouvidos pelo Jornal da Tarde têm opinião parecida.   Para acionar o basculante, esse tipo de caminhão precisa de um equipamento específico (o kit hidráulico), que deve ser instalado à parte. Há uma série de modelos. Alguns equipamentos só permitem que o motorista dê a partida se o basculante estiver encaixado na carroceria. Mas há também os que não emitem sequer um sinal de luz no painel para alertar sobre o estado da caçamba.   "Quem faz um caminhão erguer a caixa de carga é o operador", disse Paulo Antunes, assessor técnico da Hyva, fabricante de kits hidráulicos. Segundo ele, os equipamentos mais antigos são semelhantes ao sistema que aciona a abertura das portas de ônibus. "Às vezes o condutor esbarra na alavanca e nem percebe."

Tudo o que sabemos sobre:
acidente de trânsitoImigrantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.