Laudo abala tese de que filha matou ex-ministro

Laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil abalou a única prova material que ligaria a arquiteta Adriana Villela ao assassinato do pai, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral José Guilherme Villela. O laudo diz que é nula, por inconsistência técnica, perícia do Instituto de Identificação que colocava Adriana na cena do crime. Villela, a mulher e a empregada foram mortos a facadas em 2009. O processo está em fase final de instrução no Tribunal do Júri. Adriana é acusada de ser a mandante do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.