Latrocínios sobem pelo 6º mês no Estado; homicídios e roubos caem

Casos de roubos seguidos de morte em São Paulo passaram de 28 em abril de 2016 para 36, em 2017; índice de homicídios é o menor da série histórica e, na capital, indicadores também caíram

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2017 | 17h51
Atualizado 25 Maio 2017 | 22h25

SÃO PAULO - Os latrocínios, crime de roubo seguido de morte, subiram pelo sexto mês consecutivo no Estado de São Paulo, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 25, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Também de acordo com a pasta, os homicídios atingiram a menor taxa da série histórica. Na capital, todos os indicadores de criminalidade recuaram.

Foram registrados, ao todo, 36 latrocínios em abril, uma alta de 28,5% em comparação ao mesmo mês do ano passado. Em 2016, foram 28 ocorrências.

Para o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves, a região da Grande São Paulo foi a “nota destoante”, ao triplicar a quantidade de casos de 4 para 12, em abril. Na capital, esse índice recuou de 11 para 7 ocorrências. “Vamos reunir os comandos da polícia para estudar e entender a razão de resultado tão diferente”, disse.

Conhecido como “roubo que deu errado”, o aumento de latrocínio aconteceu apesar da queda de 4,1% dos roubos no Estado. Segundo Mágino, a maior parte das ocorrências envolveu roubos em motocicletas. Por isso, secretário pretende aumentar o número de operação voltadas para fiscalizar condutores desse tipo de veículo.

Os registros de estupro também aumentaram no Estado, de 760 para 875 notificações. A alta, desta vez de 15%, é a nona seguida em São Paulo. Após dez meses em crescente, os roubos de carga mostraram tendência de estabilidade, com 0,9% de casos a mais do que em 2016

Quedas. No Estado, os homicídios recuaram 14,7% em abril. Foram 284 casos neste ano, ante 333 no ano passado. Com a queda, a taxa de homicídio passou para 7,92 casos para cada 100 mil habitantes. “É a primeira vez que a gente desce a ‘casa do 8’”, disse Alves.

Na capital, os assassinatos caíram de 87 para 76 registros, ou 12,6% a menos. Também houve queda de 8,09% nos registros de estupro. Já os índices de roubo e furto caíram 1,06% e 1,97%, respectivamente, em abril. Naquele mês também não foi registrado nenhum sequestro no Estado, segundo a SSP.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.