Jabbacake/Pixabay
Jabbacake/Pixabay

SP tem menor registro de homicídio em um mês; latrocínios sobem

Em agosto, houve 224 assassinatos no Estado, redução de 7,4% em relação ao mesmo mês do ano passado; estupros aumentaram

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2018 | 17h09
Atualizado 25 Setembro 2018 | 20h15

SÃO PAULO - O Estado de São Paulo registrou 224 homicídios em agosto, o menor índice para um mês desde 2001, início da série histórica. Com a queda, a taxa por 100 mil habitantes voltou a bater recorde de redução - 7,01 casos -, é o que apontam dados divulgados nesta terça-feira, 25, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Segundo a SSP, os homicídios caíram 7,4% em agosto, na comparação com o mesmo período de 2017, quando houve 242 ocorrências. A estatística confirma uma tendência histórica de quedas - em 2018, aconteceu em todos os meses.

"Isso é fruto do trabalho das polícias, do investimento em tecnologia e emprego de ferramentas que direcionam o patrulhamento para as principais manchas de criminalidade, fazendo com que a gente consiga ter mais eficiência na prevenção de homicídios", disse o secretário da Segurança, Mágino Alves Barbosa Filho, ao Estado

Na capital, porém, foram 52 casos registrados - uma a mais do que em agosto de 2017. Assim, a cidade chegou ao quarto mês consecutivo sem reduzir o índice, comportamento que não acontecia desde 2014.

"Na capital, a gente já teve uma redução muito acentuada", afirmou Mágino. "Então, esses episódios de um ou dois casos a mais, embora lamentáveis, não representam uma tendência."

Na cidade, a taxa é de 6,07 homicídios por 100 mil habitantes, segundo a SSP.

Latrocínios

Pela primeira vez em 2018, o Estado teve aumento de latrocínios, o roubo seguido de morte. Foram 23 casos: três a mais do que em agosto do ano anterior. A alta aconteceu mesmo diante do quadro de diminuição de 15,4% de roubos, crimes considerados relacionados entre si. Ao todo, houve 20.750 assaltos registrados, ante 24.545 em 2017.

Para o secretário, o aumento recente teria sido "episódico".

"Todos nós lamentamos as mortes, mas essas ações criminosas não refletem a tendência de queda de latrocínios e de crimes patrimoniais em São Paulo", disse Mágino.

Mais da metade dos roubos (10.505) de agosto aconteceu na cidade de São Paulo. Ainda assim, o indicador caiu 14,7% na capital, uma vez que nesse mês de 2017 haviam sido 12.316 crimes semelhantes. 

Estupros

Em escalada, os estupros subiram pela sétima vez em oito meses de 2018. Foram 1.048 ocorrências registradas, ou 12,2% a mais do que no ano anterior, quando houve 934 notificações. A única queda neste ano aconteceu em julho. 

A maioria dos casos é praticada contra vítimas vulneráveis, segundo a SSP. O crime também cresceu na capital, onde houve 221 notificações desta vez, ante 190 em agosto de 2017 - ou 16,35% a mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.