Latrocínios quase dobram em SP

Dados da Secretaria da Segurança Pública mostram também aumento de 18% nos homicídios na capital paulista

Caio do Valle e Felipe Tau, O Estado de S. Paulo

25 Abril 2013 | 09h17

A violência está crescendo na capital paulista. Dados da Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP) divulgados na manhã desta quinta-feira, 25, mostram que os latrocínios -- roubos seguidos de assassinato -- quase dobraram na cidade, subindo de 22 casos no primeiro trimestre do ano passado para 40 no mesmo período de 2013.

Além disso, os homicídios avançaram 18%, passando de 258 ocorrências nos três primeiros meses de 2012 para 305 neste ano.

Outra má notícia para a cidade de São Paulo é que os estupros seguem igualmente em tendência de alta: nos três meses iniciais deste ano, foram registrados 26% mais casos deste crime (867, no total) do que entre janeiro e março do ano passado, quando as notificações chegaram a 688.

Roubos. As estatísticas trimestrais da SSP indicam que, no mesmo período, as ocorrências de roubos na cidade se elevaram de 27.570 para 28.123, uma variação positiva de 2%.

Também aumentaram os roubos de veículos entre os três meses iniciais de 2012 e 2013, crescendo 3,5%, de 11.309 casos para 11.711. Variação semelhante ocorreu com os furtos de veículos na capital, que se elevaram de 11.170 para 11.543 no trimestre, ou seja, alta de 3%.

Estado. Os números publicados pelo governo do Estado também indicam um crescimento da violência em todo o território paulista. De janeiro a março deste ano, 1.189 homicídios dolosos foram registrados no Estado inteiro, ante 1.078 no mesmo trimestre de 2012. Uma alta de 10%.

Assim como na capital, o Estado observou um aumento (de 18,8%) das notificações de latrocínio: os casos subiram de 85 nos três meses iniciais do ano passado para 101 neste ano.

Os estupros, por sua vez, tiveram uma alta bem maior, de 9,5%, passando de 3.063 casos para 3.356.

Roubos foram outro tipo de crime que também registraram uma tendência de alta em todo o Estado, saltando de 58.526 ocorrências registradas no primeiro trimestre de 2012 para 59.260 nos três meses iniciais deste ano, uma variação de 1,2%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.