Latrocínio cresce 74% neste ano

Os latrocínios (roubos seguidos de morte) na cidade de São Paulo cresceram 55,6% em abril em comparação com o mesmo mês de 2012 (de 9 casos para 14). No primeiro quadrimestre, a alta foi de 74,2% (de 31 para 54).

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2013 | 02h04

O secretário da Segurança, Fernando Grella Vieira, justificou a alta com o fator "sazonalidade" e diz que para reduzir esse crime é preciso mais policiamento.

Na quarta-feira, o governo transferiu as investigações desse tipo de crime do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) ao Departamento de Investigações Criminais (Deic), que atua também em roubos. "O latrocínio é filho do roubo. É o roubo que não deu certo", afirmou Grella.

Um dos 14 latrocínios de abril foi a morte, no dia 9, do estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, no Belém, na zona leste. Ele foi vítima de um rapaz que estava a três dias de fazer 18 anos. O caso reabriu a discussão sobre maioridade penal. / L.B.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.