Latrocínio cai e roubo de carros dispara

No primeiro trimestre, foram levados 21,5% mais veículos na capital - 123 por dia

O Estado de S.Paulo

26 Abril 2012 | 03h03

A capital e o Estado de São Paulo registraram aumento nos casos de roubo e furto de veículos nos três primeiros meses deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Em contrapartida, casos de latrocínio (roubo seguido de morte) caíram.

Os números divulgados ontem mostram que, na capital, o índice de roubo de veículos cresceu 21,5% no primeiro trimestre -123 carros são roubados diariamente nas ruas da cidade. No Estado, o aumento foi de 16,88%. Foram levados pelos ladrões 3.142 veículos a mais nas cidades paulistas entre janeiro e março, em comparação com o mesmo período do ano passado. Também cresceu o número de furtos de veículos no primeiro trimestre em relação ao ano anterior, tanto na capital (7,1%) quanto no Estado (3,69%).

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, as polícias têm trabalhado em conjunto para diminuir esses índices. "Os reflexos positivos não vêm em curto prazo. O que não se pode é perder o foco, a direção. Não vamos analisar de forma imediatista, mas (o que estamos fazendo) vai surtir efeito."

Carneiro lembrou que, nos últimos dez anos, a frota estadual cresceu 83% - é hoje de 22 milhões -, o que também ajuda a explicar o aumento. Segundo ele, a metade dos carros roubados é recuperada.

Desmanches. Neste ano, a Delegacia Especializada em Roubo de Veículos intensificou operações contra desmanches ilegais. Como o Estado mostrou em 18 de março, uma cadeia criminosa altamente especializada é responsável por roubar e depenar carros em São Paulo. Em 2011, 25% dos latrocínios ocorreram em assaltos a motoristas.

Mas o trimestre teve queda nesse tipo de crime - no Estado, foram 2 latrocínios a menos em 2012 em relação ao mesmo período do ano passado. Na capital, foram 6 casos a menos - queda de 22%. Também caiu o número de homicídios culposos por acidente de trânsito no Estado - 2,72%. Na cidade, cresceu 4,4%.

O novo comandante-geral da PM, Roberval Ferreira França, disse ontem que o aumento no número de crimes contra o patrimônio está relacionado ao desenvolvimento da economia e a polícia precisa reformular suas estratégias. Para ele, roubo de veículo será o foco da PM e precisa ser combatido com apoio de outras esferas de poder. "É o principal fator de insegurança na sociedade."/ WILLIAM CARDOSO e DANIEL TRIELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.