Divulgação/SPTrans
Divulgação/SPTrans

Lançamento do Bilhete Único Diário depende de sistema, diz Haddad

Segundo prefeito, rede 'ainda inspira algum cuidado'; categoria semanal do cartão passa a valer neste sábado

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

04 Abril 2014 | 16h03

SÃO PAULO - O lançamento do Bilhete Único Diário, o último da série de cartões temporários do transporte público de São Paulo, dependerá do comportamento da demanda e do sistema operacional que o mantém, afirmou nesta sexta-feira, 4, o prefeito Fernando Haddad (PT). No sábado, 5, o Bilhete Único Semanal passa a valer, na cidade, onde a categoria mensal funciona desde novembro passado.

"Tudo depende do comportamento da demanda e do sistema operacional, que ainda inspira algum cuidado", disse o prefeito. "Quanto mais fácil for a adaptação, mais simples é a continuidade da agenda."

Questionado se a modalidade diária poderá vigorar ainda neste semestre, Haddad não passou um prazo. "Certamente será este ano, mas o prazo daqui até lá eu não saberia te dizer. Vai depender da evolução da adesão."

Semanal. Com a categoria lançada neste sábado, os passageiros poderão viajar quantas vezes quiserem, de ônibus, metrô e trem, por um preço fixo de R$ 38 para um único meio de transporte por um período de sete dias.

Caso a pessoa queira usar o cartão que integra os três sistema, deverá pagar R$ 60 por semana. Estudantes pagam tarifa semanal de R$ 19, segundo a São Paulo Transporte (SPTrans).

Desde que a série de cartões temporais foi lançada, no fim de novembro, quase 500 mil pessoas já se cadastraram no sistema da SPTrans, pelo site http://bilheteunico.sptrans.com.br. A medida é uma das promessas de campanha de Haddad.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.