Lama de lago do Parque da Aclimação invade ruas da região

Parque reabriu nesta quinta e tubulação do vertedouro começou a ser reparada; animais foram transferidos

da Redação, estadao.com.br

26 Fevereiro 2009 | 17h49

Foto: José Luís da Conceição/AE   SÃO PAULO - A água que drenou do lago artificial do Parque da Aclimação invadiu a Rua Oscar Guanabarino e deixou um rastro de lama e sujeira na região central da capital paulista. A tubulação do vertedouro que rompeu começou a ser reparada nesta quinta-feira, 26, pela Prefeitura, que reabriu o parque, mas deixou o lago interditado.   Veja também:  Galeria de fotos I do Lago da Aclimação  Galeria de fotos II do Lago da Aclimação Pq. da Aclimação reabre e cisnes são levados ao Ibirapuera Lago do parque da Aclimação terá água no sábado Cisnes conseguem sair da lama do lago do Parque da Aclimação Tubulação rompe e lago do Parque da Aclimação seca     Foto: José Luís da Conceição/AE   A previsão é que o lago volte a ser enchido a partir do sábado. A Prefeitura culpou as fortes chuvas para o rompimento do sistema. Enquanto isso, o casal de cisnes negros resgatado do lago da Aclimação deve ficar com a "família" enquanto seu "lar" não voltar a existir. As aves foram transferidas temporariamente para o Parque do Ibirapuera.   Em torno de uma hora, os 70 milhões de litros de água, suficientes para encher 30 piscinas olímpicas, foram drenados para o Rio Tietê. No entanto, serão necessárias algumas semanas para o lago ser enchido novamente. Segundo o prefeito Gilberto Kassab (DEM), o lago não precisará ser esvaziado novamente para a retirada do lodo, o que vai aumentar a capacidade de 70 milhões para 110 milhões de litros.   Os índices mais altos de chuva registrados nos últimos 40 anos provocaram aumento da pressão no sistema da águas pluviais e nos córregos que chegam ao local, segundo a Prefeitura. Isto teria causado o rompimento do sistema, acidente que drenou toda a água do lago. O vertedouro tem 70 anos, a mesma idade do parque.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.