Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Ladrões viajam com 11 reféns após assalto a caminhão de roupas em Taguaí

Entre os reféns estavam um grupo de trabalhadores rurais, um motociclista, um vaqueiro a cavalo e um casal que seguia de carro e também teve o automóvel furtado pelos criminosos

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

05 Junho 2018 | 12h04

SOROCABA - Criminosos viajaram 52 quilômetros com um caminhão roubado, em Taguaí, interior de São Paulo, levando 11 reféns presos no baú, na tarde desta segunda-feira, 4. As vítimas, rendidas numa estrada rural para ajudar a transferir a carga de roupas do caminhão para outro veículo, foram libertadas em Barão de Antonina, na divisa de São Paulo com o Paraná, onde o caminhão foi abandonado. Nenhum dos reféns ficou ferido. Os criminosos fugiram com a carga e, até a manhã desta terça-feira, 5, não tinham sido localizados. 

   

O roubo aconteceu na frente de uma indústria têxtil, no distrito industrial de Taguaí. Cerca de seis homens chegaram em dois carros e renderam o motorista e o ajudante, levando o veículo com 24 mil peças de roupas, em sua maioria calças jeans. Os dois foram mantidos como reféns até o caminhão chegar a uma estrada rural no bairro da Várzea, já em Taquarituba, cidade vizinha, onde outro veículo esperava os criminosos. "Naquele local, eles foram rendendo aleatoriamente quem passava e os obrigava a ajudar na transferência da carga roubada para o caminhão deles", contou o delegado de Taguaí, Gabriel Fernandes Pires.  

+++ Professora é flagrada entrando com 31 celulares em presídio

Entre os reféns estavam um grupo de trabalhadores rurais que passava numa van, um motociclista, um vaqueiro a cavalo e um casal que seguia de carro e também teve o automóvel furtado pelos criminosos. Depois que a roupa foi transferida para o segundo caminhão, os assaltantes mandaram que todos entrassem no baú do veículo roubado. Conforme os reféns, os homens estavam armados com pistolas e revólveres e tomaram os celulares do grupo. A porta foi trancada com cadeado e, durante cerca de uma hora, o caminhão rodou pela região com os reféns a bordo. 

+++ Taxa de homicídios de negros é mais do que o dobro da de brancos no País

As vítimas relataram terem ficado no escuro e sem condições de ver o que se passava no exterior. O delegado acredita que os ladrões seguiram rumo ao Estado do Paraná, já que o caminhão com os reféns foi abandonado praticamente na divisa. O carro roubado também foi visto nessa região. "Estamos em busca de imagens de câmeras instaladas no possível trajeto feito pelo bando", disse. Os proprietários da Ferrahe Confecções não quiseram falar sobre o roubo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.