Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Ladrões usam pedras, fazem arrastões e esfaqueiam motorista perto da USP

Após ataques na madrugada de ontem e anteontem na Marginal do Pinheiros, polícia promete ampliar horário de patrulhamento na via

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

07 Julho 2011 | 00h00

Criminosos têm colocado pedras para danificar veículos e assaltar motoristas nas pistas da Marginal do Pinheiros, entre as Pontes do Jaguaré e Cidade Universitária, no sentido Interlagos. Nos últimos dois dias, pelo menos três pessoas foram vítimas no mesmo horário: às 5 horas. Uma delas chegou a ser ferida com faca, mas passa bem. A Polícia Militar anunciou ontem que vai reforçar a segurança no local.

Na madrugada de ontem, o metalúrgico Ronaldo Capistrano, de 40 anos, seguia em seu carro quando ouviu um barulho ao passar pela pista expressa da Marginal, na via perto da raia olímpica da Universidade de São Paulo. Ao parar no acostamento para verificar o problema, foi surpreendido por dois suspeitos oferecendo ajuda. Logo depois, a dupla pediu seus pertences. Na sequência, o motorista de um segundo veículo, danificado por outra pedra, também parou e acabou sendo assaltado. O motorista reagiu e lutou com o bandido. Ferido na mão e no pescoço, foi levado para o Hospital Universitário.

O arrastão só terminou quando uma picape bateu na traseira do segundo carro. A aglomeração assustou os assaltantes, que fugiram. Até a noite de ontem, nenhum deles havia sido detido. Um suspeito chegou a ser levado para a delegacia, mas não foi reconhecido pelas vítimas e acabou sendo liberado.

A reportagem apurou que, além desses dois casos, por volta das 5h de anteontem uma outra vítima, de 43 anos, foi detida na Ponte Cidade Universitária. O carro que dirigia parou completamente após bater em um bloco de concreto. Ao descer, o motorista foi abordado por um assaltante e uma mulher. A mulher foi a mais agressiva - fez a vítima deitar no asfalto e pôs o pé sobre o corpo do motorista para seu comparsa poder roubar com mais tranquilidade.

O delegado titular do 93.º Distrito Policial (Jaraguá), Carlos Alberto Delaye Carvalho, disse que em sua delegacia foi registrada uma única ocorrência com duas vítimas.

Reforço no policiamento. As operações das Rondas Ostensivas com o Apoio de Motocicletas (Rocam), normalmente realizadas das 7 às 10 horas, começarão hoje às 4 horas. Uma viatura também será colocada no trecho onde foram registrados os crimes, desde a meia-noite.

A ideia, de acordo com o major William Evaristo Wenceslau, do 16.º Batalhão (Rio Pequeno), é evitar novos crimes. "Se alguém passar sobre algum tipo de obstáculo e o carro continuar em condições de rodar, é indicado que não pare", recomenda. "Para nós, é o primeiro caso. Ligamos até no 91.º DP, mas lá também não tinha. Sei que eles (suspeitos) têm entre 19 e 20 anos", adiantou o major. "Antigamente isso acontecia muito na Anchieta e Imigrantes. Estamos fazendo planos para deter esses casos."

O major Wenceslau informou ontem que ainda apura de onde estão vindo os assaltantes, mas desconfia de um endereço, do outro lado da pista, que estaria servindo de abrigo a moradores de rua.

PRESTE ATENÇÃO...

Evite sempre parar o carro

1.Ao observar obstáculos no meio da via, avise imediatamente a Polícia Militar pelo telefone 190 ou entre em contato com policiais. Muitas vezes, o que pode parecer uma simples sobra de um caminhão ou de uma obra é uma estratégia criminosa para roubar e até ferir motoristas. Uma comunicação rápida fará com que a pedra ou o paralelepípedo seja retirado o quanto antes para evitar novos crimes.

2. Caso o veículo seja atingido por uma pedra e tenha condições de continuar trafegando na pista, siga em frente e só pare para verificar o problema em um posto de gasolina, base da Polícia Militar ou locais com grande movimentação de pessoas.

3. Ao perceber pessoas em atitude suspeita, ligue para o 190. A Polícia Militar destaca que não é comum a circulação de pessoas nas pistas da Marginal ou em canteiros de vias expressas da capital.

4. Caso seja detido em um arrastão ou qualquer outra ação criminosa, mantenha sempre a tranquilidade. Nunca reaja a assaltos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.