Ladrões usam cartões para comprar roupas e eletrônicos

No começo do mês, um casal de universitários viveu uma noite de terror nas mãos de assaltantes. Eles foram sequestrados na saída do Shopping Vila Olímpia, na zona sul, às 22h30 do dia 2. Na ocasião, um homem identificado como William Alves dos Santos, de 20 anos, foi preso e seu comparsa - um adolescente - foi apreendido em Pinheiros.

O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2012 | 03h02

Os estudantes estavam em um Clio e tiveram de circular com os ladrões. A dupla exigiu que eles entregassem rapidamente os cartões para saques em caixas eletrônicos. O casal, de 25 e 27 anos, afirmou que teve um prejuízo de R$ 700 só em saques. Óculos de grife dos dois também foram levados. Após o crime, os suspeitos deixaram os universitários a pé na Rua Carlos Rath e seguiram com o carro até Pinheiros. Avisados, policiais conseguiram encontrar os assaltantes.

Em outro caso neste mês, desta vez na porta de um supermercado na zona sul, uma empresária de 44 anos conseguiu escapar de um sequestro ao pular do carro na qual era levada pelos bandidos. A vítima foi abordada na frente de um mercado, no semáforo. A polícia conseguiu prender três acusados.

Mas também há casos em que a vítima é atacada ao estacionar o carro na rua. Um médico de 33 anos foi vítima de sequestro relâmpago há duas semanas, quando descia de seu carro, um Toyota Corolla, em Pinheiros. Ele foi mantido refém por três horas e teve um prejuízo de R$ 5 mil. Além de armas, bandidos tinham equipamento de choque.

IPads. Segundo a Delegacia Antissequestro, na hora de usar cartões da vítima, ladrões também estão trocando saques por compras de roupas, eletrônicos e sapatos. "É por causa da restrição bancária", diz o delegado Alberto Matheus Júnior. "Tivemos um caso em que ladrões compraram oito iPads com o cartão. / C.H.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.