Ladrões ''trabalham'' mais em Brasília

Já SP lidera em roubo de carros, segundo anuário, que também mostra que despesas por pessoa com segurança cresceram 44% em 4 anos

Bruno Paes Manso, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2010 | 00h00

Brasília é a unidade da federação onde os ladrões mais trabalham. No ano passado, foram registrados 1.105,9 roubos por 100 mil habitantes, o que coloca o Distrito Federal no primeiro lugar do ranking de roubos. O Rio, Estado em segundo lugar, tem taxas bem mais modestas: 862,5 casos por 100 mil habitantes.

São Paulo, quarto colocado em roubos, lidera o ranking quando os dados se restringem a veículos. Em 2009, foram roubados 173,6 carros para cada 100 mil habitantes. O segundo lugar fica com o Rio, que registrou 156,4 veículos roubados por 100 mil habitantes. Os dados são do 4.º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgados ontem em São Paulo.

Segundo o Anuário, a despesa per capita com a função segurança pública da União e dos 26 Estados aumentou em 44% nos últimos quatro anos, passando de R$ 165 por habitante em 2006 para R$ 238 no ano passado. O total gasto no setor em 2009 foi de R$ 45,6 bilhões, valor que ficou 15% acima do ano anterior. Segundo os números, apenas dois Estados reduziram investimentos em segurança: Rio (-24,6%) e Roraima (-7,6%).

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), que ontem esteve em São Paulo em evento da Revista Exame, explicou que a queda é, na verdade, resultado de uma mudança contábil. Em 2008, as aposentadorias e pensões de policiais civis e militares entravam na conta, passando no ano passado a integrar a Previdência. "Para que se possa fazer a comparação correta, deve-se incluir na conta de 2009 esses mesmos gastos. Feito isso, verifica-se que a despesa com segurança cresceu de R$ 4,4 bilhões para R$ 4,9 bilhões", explicou.

Em relação aos homicídios, 10 das 27 unidades da federação registraram queda nas taxas. Alagoas ocupa o primeiro lugar no ranking de violência, com 63,3 homicídios por 100 mil habitantes. No outro extremo da tabela está Minas, que no ano passado reduziu os assassinatos em 33%. Atualmente, é o Estado onde menos se mata, com taxa de 7,1 homicídios por 100 mil habitantes.

Pernambuco, terceiro colocado entre os Estados com maiores taxas de assassinatos, registrou queda de 12,3% nos homicídios. Em compensação, é o primeiro no item "morte a esclarecer". Em 2009, 2.363 mortes violentas foram registradas nesse gênero, o que representa 26,8% dos casos. Caso essas mortes violentas sejam confirmadas como assassinato, os casos passam a engrossar as taxas de homicídio pernambucanas com longa defasagem de tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.