Sérgio Neves/AE
Sérgio Neves/AE

Ladrões libertam parentes de gerente sequestrados em Osasco

Grupo prendeu material no corpo da gerente afirmando que eram bombas, mas Gate não encontrou explosivos

Central de Notícias,

21 de julho de 2009 | 12h57

Dois familiares e a empregada da gerente de uma agência do Banco Itaú, que era mantida refém em Osasco, foram liberados na manhã desta terça-feira, 21, por policiais militares, que tiveram apoio do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE). Três suspeitos invadiram a casa da gerente do banco, no bairro do Jardim Cipava, e colocaram no corpo da mulher diversos artefatos, dizendo serem explosivos.

 

A filha da gerente, de 17 anos, um neto, de 4 anos, e a empregada doméstica foram feitos reféns e levados pelos criminosos para um cativeiro. Enquanto isso, a gerente foi levada até a agência bancária localizada na Avenida dos Autonomistas, onde os suspeitos mandaram que ela realizasse saques para a liberação das vítimas.

 

Porém quando a gerente entrou na agência, os funcionários do banco perceberam que havia supostos explosivos presos ao corpo da gerente e avisaram a PM, que acionou o GATE. Os policiais retiraram um cinto contendo pilhas, pedaços de fio e capas de telefone celular, presos com fita isolante. Não havia material explosivo.

 

Por volta das 10h30, os reféns foram libertados pelos criminosos na Rua Nova Aurora, bairro do Jardim Mutinga em Barueri. O veículo utilizado pelos ladrões foi abandonado no local. A gerente do banco foi levada para o hospital após ser libertada.

 

Durante o contato com os policiais, no momento em que os objetos eram retirados do corpo da mulher, ela informou que havia percebido um carro igual ao utilizado pelos criminosos, seguindo-a na segunda-feira, 20, quando ela deixava a agência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.