Ladrões invadem casa de candidato a vereador e fazem 3 reféns

Duas funcionárias e mulher de Wadih Mutran são feitas reféns por quatro homens que invadiram a casa em SP

Solange Spigliatti, do estadao.com.br ,

22 de setembro de 2008 | 09h06

Duas funcionárias e a mulher do candidato a vereador Wadih Mutran (PP) são feitas reféns na manhã desta segunda-feira, 22. A casa do candidato, na Vila Maria Alta, na zona norte da capital, foi invadida por volta das 8h30 por quatro homens armados. Um helicóptero Águia da PM sobrevoa o local para ajudar os policiais nas negociações.     Ricardo Mutran, filho do candidato, afirma que os ladrões entraram no local quando uma das funcionárias colocava o lixo para fora da residência. Os vizinhos perceberam o assalto e chamaram a polícia. Segundo Ricardo, ele já entrou em contato com a mãe, por telefone, que disse estar bem.   Desde as 8h30, segundo a PM, os criminosos já deram vários tiros em direção às viaturas, mas ninguém ficou ferido. Duas equipes do Corpo de Bombeiros e uma do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foram acionadas. A casa está cercada e a polícia negocia com os ladrões.   Esta não é a primeira vez que a família do político é alvo de roubo. O advogado Ricardo Mutran, de 43 anos, filho do vereador Wadih Mutran, foi seqüestrado em 19 julho de 2006, e libertado depois de 39 dias, em 27 de agosto 2006. Os seqüestradores exigiram R$ 3 milhões, mas o resgate não foi pago.   Texto ampliado às 10h09 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
Wadih Mutranassalto com refém

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.