Ladrões fazem reféns na Al. Casa Branca

Mulher rendida com amigo na Vila Madalena é obrigada a levar bandidos ao seu apartamento, no Jardim Paulista

Gio Mendes, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2011 | 00h00

Uma administradora de empresas de 30 anos foi feita refém por assaltantes na rua e obrigada a levá-los até o seu apartamento, na Alameda Casa Branca, no Jardim Paulista, zona sul de São Paulo. Os criminosos recolheram objetos de valor no imóvel, mas na fuga se envolveram em um acidente de trânsito. Dois foram presos.

A vítima, que não quis se identificar, foi rendida pelo bando na frente do escritório de um amigo, na Vila Madalena, zona oeste, às 21h de anteontem. Ela conversava com o colega, quando três criminosos desceram de um carro e anunciaram o assalto. Os ladrões entraram no carro da vítima, um Honda Fit, e perguntaram onde ela morava. O casal de amigos foi levado como refém. O quarto assaltante seguiu o grupo no carro da quadrilha.

Os bandidos fizeram um trajeto de cerca de 5 quilômetros até chegar ao edifício da vítima. O porteiro desconfiou ao ver o carro passar pela garagem com vários ocupantes e foi verificar o que estava acontecendo. Também acabou dominado pelos três bandidos. O quarto assaltante ficou do lado de fora do prédio, no carro do bando.

Os criminosos permaneceram no apartamento da administradora por cerca de 1 hora. Eles roubaram três televisores, um notebook, joias, dólares, bebidas e outros pertences da moradora. Os objetos foram colocados no Honda Fit da vítima.

Fuga. Os criminosos fugiram do prédio, sem entrar em outros apartamentos, e foram presos porque bateram em outros carros na região de Pinheiros, zona oeste, durante a fuga.

A Polícia Militar foi acionada e conseguiu prender dois suspeitos que ocupavam o carro roubado na Avenida Professor Francisco Morato, na Vila Sônia, zona oeste.

Com a dupla foram apreendidos um revólver calibre 38 e os objetos levados do apartamento da administradora. Os suspeitos foram identificados como Alan dos Santos Pinheiro, de 24 anos, e José Carlos Cardoso de Oliveira, de 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.