Ladrões enganam a PM e assaltam banco no interior de SP

Telefonema anônimo avisou PM de falso roubo num bairro longe da agência que foi assaltada em Araçoiaba

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 17h57

Ladrões armados trocaram tiros com a Polícia Civil em plena rua principal durante assalto a uma Agência da Nossa Caixa, na manhã desta sexta-feira, 11, em Araçoiaba da Serra, região de Sorocaba. O bando usou um estratagema para tirar o efetivo da Polícia Militar da cidade na hora do assalto. Um telefonema anônimo informou que ladrões estavam assaltando a agência bancária de um bairro rural distante 8 quilômetros. Quando as viaturas da PM rumaram para o suposto assalto, os bandidos agiram.   Na agência havia cerca de 30 pessoas entre funcionários e clientes quando dois homens entraram armados e encapuzados. Um terceiro assaltante ficou do lado de fora, dando cobertura. Os ladrões fugiram levando um malote com dinheiro e um correntista da agência como refém, que foi solto a 5 quilômetros da cidade. Ninguém ficou ferido. A agência não divulgou o valor roubado.   "Eles entraram atirando para o alto e mandaram todo mundo se deitar", contou o policial civil José Valdir de Almeida. Ele estava na Delegacia de Polícia, a 200 metros, e foi correndo para o local. Quando se aproximava, o bandido que dava cobertura disparou. "Escondi atrás de um poste e revidei", contou. Os bandidos, que tinham obrigado um funcionário a abrir o cofre, estavam saindo com o malote quando começou o tiroteio. Eles voltaram para o interior do banco e também abriram fogo.   As balas destruíram a fachada de vidros da agência. Em seguida os ladrões saíram usando o refém como escudo. Eles fugiram num Monza preto que tinha sido roubado, dias antes, em Sorocaba. O carro foi abandonado na estrada do Ipatinga, que dá acesso à rodovia Raposo Tavares. A polícia montou um cerco na região, mas não conseguiu localizar os bandidos. Até esta tarde ninguém tinha sido preso.

Tudo o que sabemos sobre:
políciaSorocabaassalto a banco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.