Ladrões do Morumbi vão para os Jardins

Aumento no número de roubos faz PM detectar migração e criar operação especial

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2011 | 09h29

Após o início da operação policial para coibir roubos no Morumbi, ladrões acabaram migrando para os Jardins. Só no mês passado foram registrados sete assaltos a residências na região - cinco no Jardim Paulistano e dois no Jardim Europa. Como consequência, a polícia decidiu iniciar neste mês a Operação Jardins.

"Os casos aconteceram em um período de apenas dez dias, o que assustou bastante os moradores. Houve uma migração de assaltantes por causa da atuação da PM no Morumbi", disse o diretor executivo da Associação dos Moradores dos Jardins (AME Jardins), João Maradei Júnior.

Segundo ele, a associação procurou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Álvaro Batista Camilo, ainda em setembro para relatar o aumento de casos de roubos a residência na região. A Operação Jardins entrou em vigor no dia 3, com reforço do policiamento na região.

O capitão Fernando Alencar, coordenador operacional do 23.º Batalhão da PM, responsável pelo patrulhamento dos Jardins, diz que o número de policiais foi dobrado na área nos últimos dias. "Houve um acréscimo de seis viaturas da Força Tática, cada uma com três policiais, e 16 motos", disse, acrescentando o bairro já era patrulhado por 35 policiais.

O oficial afirmou também que o número de residências assaltadas já caiu de sete para dois após o início da Operação Jardins. Segundo ele, a PM abordou 1.913 pessoas durante a operação, além de vistoriar 265 carros e 537 motocicletas.

Aprovação. Maradei Júnior disse que os moradores da região já têm comentado sobre a presença da PM. "Eles veem que o policiamento está reforçado em pontos estratégicos, como as Pontes Eusébio Matoso e Cidade Jardim, que são usadas pelos criminosos para chegar ao bairro", afirmou o diretor da AME Jardins.

A PM não informou quantos casos de roubo a residência foram registrados nos Jardins de janeiro a agosto. De acordo com Maradei Júnior, a AME Jardins tinha conhecimento de pelo menos quatro casos nesse período, o último deles ocorrido no dia 13 de julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.