Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Ladrões deixam ponte estaiada da zona norte às escuras

1,1 mil metros de cabos metálicos foram furtados, o que só foi constatado depois de o 'Estado' questionar a falta de iluminação

Artur Rodrigues, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2012 | 22h57

SÃO PAULO - Após o furto de projetores da Ponte Octavio Frias de Oliveira, em janeiro, ladrões deixaram outra ponte estaiada no escuro. Desta vez, o alvo dos criminosos foi a Ponte Orestes Quércia, na Marginal do Tietê, na zona norte da capital.

A ação dos ladrões só foi percebida depois de questionamento do Estado sobre o motivo de as luzes estarem apagadas, no início da semana. Uma equipe do Departamento de Iluminação da Prefeitura (Ilume) foi enviada até o local para fazer uma vistoria e acabou constatando o furto de 1,1 mil metros de cabos metálicos.

É a segunda vez que a ponte do Tietê tem os cabos de iluminação furtados, segundo o Ilume. O primeiro furto foi de cabos de cobre, em novembro. Na reposição, para tentar desestimular novas ações criminosas, foram usados cabos de aço bimetálicos, material mais barato que o cobre.

A ligação entre a Avenida do Estado e a pista da Marginal sentido Castelo Branco ainda estava no escuro na noite de anteontem. Desde terça, técnicos do Ilume estão trabalhando para restabelecer a iluminação. O boletim de ocorrência do caso ainda será registrado pela Prefeitura. Funcionários desconhecem a data e as circunstâncias do roubo.

Vandalismo. A Prefeitura vem lutando há anos contra a ações dos ladrões de cabos na cidade. Estima-se que 40 quilômetros de fios sejam roubados mensalmente em São Paulo.

A Marginal do Tietê, a ciclovia na Radial Leste, o Parque do Ibirapuera e os Túneis Tribunal de Justiça e Ayrton Senna são alvos frequentes dos bandidos. Só nesses cinco locais o prejuízo causado pelos roubos de fios de cobre e luminárias passou de R$ 1,5 milhão em 2011.

No dia 9, ladrões atacaram um dos principais cartões-postais da cidade. Eles levaram 94 dos 142 projetores da Ponte Octavio Frias de Oliveira, na Marginal do Pinheiros. O prejuízo com o crime foi de R$ 1 milhão. Por causa do furto, ocorrido durante as comemorações do Ano-Novo Chinês, a Prefeitura teve de improvisar. Para iluminar a ponte, colocou gelatina colorida, usada em teatros, em holofotes comuns.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.