Ladrões atropelam 16 no Brás após praticar dois assaltos

Trio estava em carro roubado de comerciante pouco antes; duas vítimas continuavam internadas na noite de ontem

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2010 | 00h00

Dezesseis pessoas foram atropeladas por um carro desgovernado ontem na feirinha da madrugada, no Brás, região central de São Paulo. Duas tiveram fraturas e continuavam internadas no início da noite. O veículo, um Toyota Corolla preto, havia sido roubado de um comerciante chinês meia hora antes.

Três assaltantes saíram do veículo após bater em um poste e fugiram. Dois foram detidos à tarde e levados para o 21.º DP (Pari) onde já estavam presos outros três suspeitos de integrar o bando.

Juntos, os seis jovens teriam roubado uma comerciante boliviana por volta das 3h40 na Avenida Vautier, no Pari, região central. "Estava tirando a mercadoria do carro quando eles apareceram. Um deles estava armado", disse a mulher, de 42 anos, que pediu para não ser identificada.

Ela trabalha na feirinha da madrugada, onde os pais de pelo menos dois suspeitos também têm barracas. "Por isso acho que eles (os acusados) não fizeram isso. Não pode ter sido meu sobrinho", declarou a comerciante Rosana Choque, tia de um jovem de 17 anos detido ontem.

Na versão da polícia, o jovem e os outros cinco colegas - apenas dois são maiores de idade - levaram da boliviana cem saias, documentos pessoais e R$ 1.200.

Após o roubo, a Polícia Militar foi chamada. "Quando estávamos na Rua Carnot (no mesmo quarteirão onde a comerciante foi roubada), por volta das 5h, vimos um senhor oriental que tivera o carro roubado. Descemos da viatura para ir atrás deles", disse o soldado Fabiano, da 3.ª Companhia do 13.° Batalhão. Fabiano diz que três homens entraram no Corolla e três correram.

Cerca de meia hora depois, os policiais militares souberam que o carro roubado havia se envolvido em um acidente na feirinha da madrugada.

Testemunhas disseram que o veículo desceu a Rua São Caetano em alta velocidade, aparentemente sem controle, não conseguiu fazer a curva da Rua Monsenhor Andrade e acertou um poste. "Eles derrubaram todo mundo no meio do caminho", afirmou a vendedora Daiana Costa Silveira.

O carro era dirigido por um menor, segundo a polícia. O garoto foi um dos detidos à tarde. Com eles, foi apreendida uma arma. As roupas roubadas e parte do dinheiro foram recuperados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.