Ladrões matam ex-assessor de Lu Alckmin na Lapa

Roberval Andrade Nucci, de 47 anos, era servidor da CPTM em São Paulo; bandidos tentaram roubar sua moto

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2016 | 11h29

SÃO PAULO - Dois ladrões atiraram e mataram com um disparo na cabeça um homem na manhã desta quarta-feira, 7, na Lapa, zona oeste de São Paulo, após uma tentativa de assalto. Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 6h, entre as Ruas Tito e Francisco Alves. O caso foi registrado no 91º Distrito Policial (Ceagesp) e será investigado pela Delegacia Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

Os ladrões abordaram Roberval Andrade Nucci, de 47 anos, enquanto ele estava em uma moto. Eles atiraram contra Nucci e fugiram sem levar o veículo.

Em sua página no Facebook, Nucci informava que era funcionário do governo do Estado. O Palácio dos Bandeirantes confirmou a informação e diz que ele trabalhava na Companhia dos Trens Metropolitanos de São Paulo (CPTM).  Ele também já prestou serviços como assistente de cerimonial do Fundo de Solidariedade, presidido pela primeira-dama do Estado Lu Alckmin.

A mulher de Nucci estava com o marido  na hora do assalto e relatou aos policiais que eles não reagiram ao assalto, mas mesmo assim um dos ladrões atirou. Ela não ficou ferida e eles fugiram sem levar nada. A polícia investigará imagens de câmeras de segurança instaladas na rua onde ocorreu o crime. 

Amigos da vítima deixaram mensagens e afirmam que ele estava com uma viagem planejada para Uruguai, Argentina e Chile. "Um cara que sempre respeitou minha família, desde o primeiro momento que nos conhecemos. Era para ter sido meu padrinho de casamento", escreveu um amigo. A irmã, Claudia Nucci, também deixou homenagem em sua página. "A vida levou hoje a pessoa mais incrível. Estou muito triste, mas que deus olhe por ele. Deus só leva os melhores", escreveu. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.