Ladrões abandonam carga de remédios no Parque do Carmo

Guardas encontraram em matagal R$ 870 mil em medicamentos de uso hospitalar que haviam sido roubados na Dutra

Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2010 | 00h00

Uma carga com 2,1 mil analisadores imunológicos e 6 mil caixas de comprimidos Oleptal, usados para tratamento de epilepsia, foi abandonada por assaltantes em uma mata do Parque do Carmo, em Itaquera, zona leste. Os medicamentos, avaliados em R$ 870 mil, foram encontrados às 16h30 de anteontem pela Guarda Civil Metropolitana.

Os remédios foram encaminhados para o Departamento Policial de Proteção à Cidadania (DPPC). Para o delegado titular Fernando Schmidt de Paula, da unidade de inteligência do DPPC, os ladrões desprezaram a carga porque não encontraram compradores. Nas caixas havia a inscrição: "Medicamento de uso hospitalar. É proibida a venda no comércio."

Segundo Schmidt, a carga foi roubada às 4 horas do dia 15 de julho, na Rodovia Presidente Dutra, em São José dos Campos, Vale do Paraíba. O caminhão da empresa Atlas, que seguia para Fortaleza, foi interceptado por um carro com quatro homens encapuzados. O motorista do caminhão também foi encapuzado e colocado no automóvel. Parte dos assaltantes permaneceu com o refém durante quatro horas. O restante do grupo fugiu com o caminhão. A vítima foi libertada na Via Dutra, em Itatiaia, no Rio, onde comunicou o roubo. O caminhão foi localizado em Franco da Rocha, na Grande São Paulo, em 3 de agosto.

Para o delegado, os assaltantes são da Grande São Paulo. "Um dos laboratórios fica na capital e outro em Barueri. A Atlas tem sede em Itapevi e o caminhão foi abandonado em Franco da Rocha. São municípios vizinhos. Os ladrões deveriam ter informações sobre essas empresas e como é feito o transporte desse tipo de carga. Estamos investigando e chegaremos aos responsáveis pelo roubo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.