Ladrão é morto em tiroteio nos Jardins

Aposentada deixava loja na Melo Alves quando foi assaltada e feita refém por criminoso que acabou baleado por policial do Gate à paisana

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2011 | 00h00

Um assalto seguido de tiroteio na tarde de ontem na Rua Melo Alves, nos Jardins, zona oeste da cidade, terminou com a morte do criminoso, Filipe Pio da Silva, de 21 anos. O tiro foi disparado por um policial do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) à paisana, que disse estar de passagem na calçada oposta.

Filipe abordou a radialista aposentada Wandy Rocha, de 60 anos, por volta das 15h15, quando ela entrava com duas filhas em uma loja de artigos para bebês, que fica na esquina com a Rua Estados Unidos.

Do outro lado da rua, o policial do Gate - cujo nome não foi divulgado - tentou impedir o assalto aos gritos de "Larga ela!", mas não obteve sucesso. Com um revólver calibre 38 apontado para a cabeça de Wandy, Filipe a fez de escudo por cerca de 50 metros, até o local onde um cúmplice o aguardava em uma moto.

Durante o trajeto, na tentativa de se livrar do assaltante, a aposentada repetia: "Leva a bolsa, tem dinheiro aí dentro!". Ao que o cúmplice de Filipe gritava: "Mata ela, mata ela".

Quando montou na garupa da moto, o assaltante virou para trás e disparou na direção do policial, acertando a placa de um Celta. Na versão da polícia, só então o policial atirou de volta. Atingido na cabeça, Filipe caiu no asfalto com a bolsa de Wandy. O cúmplice fugiu, deixando o colega em uma enorme poça de sangue. Filipe ainda foi levado ao HC, mas não resistiu.

A polícia tentou identificar a moto usada pelos criminosos, por meio da câmera de segurança do prédio em frente, mas a qualidade das imagens não permitiu definir o número da placa. O trecho onde ocorreu o crime foi interditado ao trânsito, causando muita curiosidade dos motoristas na Rua Estados Unidos.

Uma das filhas de Wandy está grávida de quase nove meses. Hipertensa, a aposentada passou mais de duas horas no interior da loja, depois do crime, para se tranquilizar. Só então seguiu com sua advogada ao 78.º DP para prestar depoimento.

Moradora da Vila Nova Conceição, zona sul, a Wandy nunca havia sido assaltada. Disse que passou por momentos de "medo, desespero e insegurança". Ao saber da morte do assaltante, lamentou pela mãe do rapaz. "Ele deve ter uma."

A vítima

Wandy Rocha

RADIALISTA APOSENTADA

"O assaltante me usou como escudo para se proteger do policial que gritava do outro lado da rua. Foi tudo muito rápido. De repente, ouvi tiros e saí correndo de volta para a loja. Nem vi que alguém tinha sido atingido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.