Ladrão de motos de luxo é preso após tiroteio no centro de SP

Depois de roubar veículo em Guarulhos, bandido foi seguido na Radial Leste e detido na região da Consolação

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

18 Abril 2012 | 03h07

Um ladrão de motos de luxo foi preso pela polícia, na madrugada de ontem, depois de um tiroteio na região da Avenida Paulista, na Consolação, centro de São Paulo. Felipe Maresti de Oliveira, de 26 anos, e um comparsa, que conseguiu fugir com a arma do crime, haviam roubado a motocicleta, avaliada em R$ 38 mil, na cidade de Guarulhos, minutos antes. Segundo a Polícia Civil, Oliveira é acusado ainda pelo roubo de outra moto em Santo Amaro, na zona sul da capital, no dia 9 de fevereiro.

Depois de ameaçar um comerciante de 26 anos em Guarulhos, os dois assaltantes subiram na moto JTA Suzuki GSX R750 e partiram com destino ao centro de São Paulo. Os ladrões cruzaram com uma viatura da PM na Radial Leste. Os policiais perseguiram os criminosos até a Rua da Consolação, onde Oliveira entrou na contramão na Rua Vinícius de Morais. "Nessa hora o piloto ficou perdido e o garupa saltou da moto atirando contra os policiais", disse o tenente Bruno Evilásio de Mattos, do 11.º Batalhão da PM. O assaltante atravessou o canteiro central, ainda dando tiros na direção dos PMs, segundo Mattos. "Não revidamos porque havia motoristas e pedestres circulando pela Rua da Consolação", disse o tenente.

Oliveira, também conhecido como Geleia, foi preso sem oferecer resistência. Ele não portava arma. O comerciante roubado reconheceu Oliveira no 78.º DP (Jardins). A vítima contou que o comparsa do acusado atirou em sua direção ao anunciar o assalto. "O tiro acertou no tanque da moto e foi dado para intimidar a vítima", disse Mattos.

De acordo com a delegada Victoria Guimarães, investigadores conseguiram localizar ontem à tarde outra vítima que reconheceu Geleia pelo roubo de uma moto Honda CB 600 Hornet - avaliada em R$ 30 mil - ocorrido há pouco mais de dois meses. A delegada pediu a prisão preventiva do acusado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.