Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Kassab sobre Rezeck: ''Ele merece confiança''

Prefeito destacou currículo de secretário já condenado seis vezes e afirmou que a Justiça 'vai compreender (suas alegações) e absolvê-lo'

Felipe Frazão e William Cardoso, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2011 | 00h00

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) afirmou ontem que o secretário municipal de Participação e Parceria, Uebe Rezeck (PMDB), merece sua confiança, mesmo tendo sido alvo de seis condenações na Justiça, uma delas confirmada em segunda instância, como mostrou ontem o Estado. Na sexta-feira, Kassab disse que a ficha limpa deve ser critério na escolha de gestores públicos.

Ontem o prefeito de São Paulo preferiu destacar o currículo de Rezeck, nomeado na semana passada. "É um deputado que já foi três vezes prefeito de uma cidade importante como Barretos. Ele teve a oportunidade de apresentar a sua defesa, portanto merece nossa confiança. Tenho certeza absoluta de que, da maneira como se expôs e as justificativas que ele deu, a Justiça vai compreender e absolvê-lo."

Kassab também voltou a afirmar que a Ficha Limpa deve ser critério para escolha de administradores públicos. "Continua prevalecendo. Ele não foi condenado (pela Lei da Ficha Limpa), portanto vamos aguardar."

Aliado político do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), Rezeck foi condenado por atribuir ilegalmente vencimentos por férias e 13.º salário a si mesmo e ao então vice-prefeito de Barretos, Afonso Celso das Neves, entre 1997 e 2004 (confirmada pelo Tribunal de Justiça), abrigar a sobrinha como funcionária fantasma na Secretaria Municipal da Saúde, alugar imóvel de mulher de vereador sem licitação, promover publicidade indevida em cartões de Natal e placas pela cidade, cortar repasse de verbas à Câmara e nomear chefe de setor indevidamente para órgão municipal.

Recursos. Rezeck recorre de todas as condenações. Promotor em Barretos, Aloísio Antonio Maciel Neto diz que o ex-prefeito dificilmente conseguirá em instâncias superiores a absolvição pelos casos em que já foi condenado. "Não há motivos jurídicos para que ele consiga reverter as decisões nos tribunais."

Segundo o representante do Ministério Público Estadual na cidade do interior, é negativo o fato de Rezeck ter tentado também emplacar na Assembleia Legislativa uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tornar legal o recebimento de 13.º salário e férias por prefeitos e vice-prefeitos. "É uma persistência no ato de improbidade. Mostra que a lei não foi tão efetiva assim para a mudança de conduta do indivíduo", diz. Procurado pela reportagem na tarde de ontem, Rezeck não respondeu até as 20 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.