Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Kassab sobre Rezeck: ''Ele merece confiança''

Prefeito destacou currículo de secretário já condenado seis vezes e afirmou que a Justiça 'vai compreender (suas alegações) e absolvê-lo'

Felipe Frazão e William Cardoso, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2011 | 00h00

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) afirmou ontem que o secretário municipal de Participação e Parceria, Uebe Rezeck (PMDB), merece sua confiança, mesmo tendo sido alvo de seis condenações na Justiça, uma delas confirmada em segunda instância, como mostrou ontem o Estado. Na sexta-feira, Kassab disse que a ficha limpa deve ser critério na escolha de gestores públicos.

Ontem o prefeito de São Paulo preferiu destacar o currículo de Rezeck, nomeado na semana passada. "É um deputado que já foi três vezes prefeito de uma cidade importante como Barretos. Ele teve a oportunidade de apresentar a sua defesa, portanto merece nossa confiança. Tenho certeza absoluta de que, da maneira como se expôs e as justificativas que ele deu, a Justiça vai compreender e absolvê-lo."

Kassab também voltou a afirmar que a Ficha Limpa deve ser critério para escolha de administradores públicos. "Continua prevalecendo. Ele não foi condenado (pela Lei da Ficha Limpa), portanto vamos aguardar."

Aliado político do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), Rezeck foi condenado por atribuir ilegalmente vencimentos por férias e 13.º salário a si mesmo e ao então vice-prefeito de Barretos, Afonso Celso das Neves, entre 1997 e 2004 (confirmada pelo Tribunal de Justiça), abrigar a sobrinha como funcionária fantasma na Secretaria Municipal da Saúde, alugar imóvel de mulher de vereador sem licitação, promover publicidade indevida em cartões de Natal e placas pela cidade, cortar repasse de verbas à Câmara e nomear chefe de setor indevidamente para órgão municipal.

Recursos. Rezeck recorre de todas as condenações. Promotor em Barretos, Aloísio Antonio Maciel Neto diz que o ex-prefeito dificilmente conseguirá em instâncias superiores a absolvição pelos casos em que já foi condenado. "Não há motivos jurídicos para que ele consiga reverter as decisões nos tribunais."

Segundo o representante do Ministério Público Estadual na cidade do interior, é negativo o fato de Rezeck ter tentado também emplacar na Assembleia Legislativa uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tornar legal o recebimento de 13.º salário e férias por prefeitos e vice-prefeitos. "É uma persistência no ato de improbidade. Mostra que a lei não foi tão efetiva assim para a mudança de conduta do indivíduo", diz. Procurado pela reportagem na tarde de ontem, Rezeck não respondeu até as 20 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.