Kassab só gasta 8,3% da verba e diz que SP 'está bem preparada'

Parte das ações previstas de combate a enchentes neste ano ficará só para 2012; drenagem é um dos serviços prejudicados

/, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2011 | 03h03

A Prefeitura não usou toda a verba destinada ao combate de enchentes nos nove primeiros meses deste ano. Ontem, durante vistoria às obras de reconstrução das galeria de águas pluviais da Água Branca, na zona oeste, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) admitiu que as demais intervenções previstas no Orçamento deste ano ficarão para 2012. Apesar disso, disse que a cidade está "bem preparada" para enfrentar as chuvas do verão.

"O importante é que o recurso está reservado. Agora, é uma questão de definir projeto, de fazer a licitação e depois fazer a obra. Temos a expectativa de que, em dois anos, teremos tudo solucionado em relação a todas as intervenções", disse.

Segundo dados da execução orçamentária atual, a reserva de recursos mencionada por Kassab alcança apenas 22% do total previsto para o combate às enchentes na capital. Dessa verba, só 8,3% foram gastos efetivamente - ou R$ 57,1 milhões de um total de R$ 683 milhões.

Os serviços mais prejudicados pela falta de investimentos estão relacionados à drenagem das águas das chuvas e à limpeza mecânica de córregos. Áreas que comumente alagam, como a Bacia do Anhangabaú, no centro, não foram contempladas com obras.

Nem as obras da galeria da Rua Germaine Burchard, na Água Branca, zona oeste, ficarão prontas até o próximo verão, a tempo de evitar alagamentos na região da Lapa. A reconstrução do sistema, que aumentará a capacidade de escoamento de água, só deve acabar após o verão. FELIPE FRAZÃO E RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.